Lucratividade Hoteleira Na América Do Sul Ainda Busca Recuperação Dos Níveis Pré-Pandêmicos

Hendersonville, Tennessee, EUA - Os principais mercados hoteleiros da América do Sul ainda estão lutando para recuperar a lucratividade devido à inflação, lacunas nas viagens causadas pela pandemia e menor impacto dos eventos, de acordo com a divulgação de dados de P&L de fevereiro de 2022 da STR. 

(Arquivo)

“A maioria dos mercados da região está com uma média de apenas 36% de seus níveis pré-pandemia em lucro operacional bruto por quarto disponível”, disse Patricia Boo, Diretora de Área, STR, América Central/Sul. “Houve algumas melhorias no final do ano passado, mas com a inflação e atrasos ou cancelamentos de eventos, os níveis de GOPPAR caíram novamente no início de 2022.” 

O Rio de Janeiro é o único mercado chave que se manteve consistentemente acima dos níveis de 2019 no GOPPAR. O GOPPAR de fevereiro do mercado foi 172% do comparável pré-pandemia, abaixo dos 216% de janeiro. Lima estava em apenas 28% do comparável de 2019 em fevereiro, mas as margens de lucro no mercado são comparáveis ​​com 2019 devido a despesas mais baixas. 

“O Rio manteve níveis mais altos de lucratividade porque as despesas hoteleiras no mercado caíram 19%”, disse Boo. “Isso permitiu maior lucratividade mesmo com menor demanda e receita total. O adiamento do carnaval é um exemplo do vazio deixado pelos grandes eventos, já que o aumento do desempenho dos hotéis provavelmente será menor quando o evento acontecer em abril.” 

Principais métricas de lucratividade

TRevPAR - Receita total por quarto disponível

GOPPAR - Lucro operacional bruto por quarto disponível

EBITDA - Lucro antes de juros, imposto de renda, depreciação e amortização

LPAR - Custos totais de mão de obra por quarto disponível

Comentários