ITB Berlin: Verão 2022 Promete Bons Negócios Para A Indústria Do Turismo

As coisas estão melhorando: de acordo com as previsões da Statista, o mercado global de turismo chegará a US$ 637 bilhões, um aumento de 50% a pandemia não está afetando a tomada de decisões e as escolhas de destino – é improvável que a guerra na Ucrânia afete severamente a indústria de viagens 

ITB Berlin e Statista Q ousam olhar para o futuro. O Mobility Market Outlook (MMO) da Statista prevê que a indústria global de viagens crescerá 48%, atingindo US$ 637 bilhões em 2022. 

(Arquivo) 

Em 2023, ultrapassará os níveis pré-pandemia em cerca de 5%, atingindo quase US$ 756 bilhões. Em 2022, a maior taxa de crescimento está prevista para o setor de cruzeiros (180% em relação ao ano anterior) e o comércio hoteleiro (57%). A hotelaria representa o maior segmento do mercado turístico e deverá ultrapassar os alojamentos privados e apartamentos de férias, bem como os pacotes turísticos. Ao mesmo tempo, o MMO prevê que o mercado de acomodações particulares e apartamentos de férias ultrapassará US$ 81 bilhões em faturamento total, apenas dois por cento abaixo do volume do mercado em 2019.


Guerra Na Ucrânia Provavelmente Não Afetará Severamente A Indústria De Viagens 

Como essas previsões não levam em conta o impacto da guerra na Ucrânia, a questão é se isso afetará a indústria global de viagens e turismo a longo prazo - e em caso afirmativo, de que maneira? De acordo com uma análise da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), além da pandemia de coronavírus, os eventos com maior impacto de longo prazo na aviação civil global foram a combinação do estouro da bolha pontocom em 2000 e os ataques terroristas de 11 de setembro 2001. Em 2001 e 2002, o número global de passageiros aéreos diminuiu 1% em relação ao ano anterior, interrompendo brevemente a tendência de crescimento nas viagens aéreas, antes de retornar e superar os níveis pré-crise em 2004. 

De acordo com dados recebidos da OMT , em 2019, a Rússia e a Ucrânia, os dois países atualmente em guerra, responderam por 3% dos gastos globais com turismo em viagens internacionais. Supondo que a guerra não se espalhe para outras regiões, é improvável que tenha um impacto severo na indústria global de viagens. No entanto, é possível que a crise tenha um impacto maior em mercados individuais. No Chipre, segundo o ministro das Finanças Konstantinos Petridis, os turistas russos representam cerca de 25% dos visitantes internacionais. Sua ausência pode custar ao país até 2% do PIB. De acordo com o Ministério da Cultura e Turismo da Turquia, no ano passado seu país recebeu mais de 4,5 milhões de turistas russos e dois milhões da Ucrânia - juntos, quase 30% dos visitantes estrangeiros que passam férias lá. Ao contrário de Chipre, o governo turco ainda não impôs sanções à Rússia, por isso não está claro o quanto a indústria do turismo da Turquia será afetada.


As Férias Estão De Volta: As Companhias Aéreas Podem Esperar Negócios Recordes Neste Verão 

Apesar das crises, os alemães parecem ter redescoberto seu desejo por viagens e férias. De acordo com a Pesquisa Global de Consumidores da Statista (GCS), mais de 62% dos alemães estão planejando pelo menos uma viagem nos próximos 12 meses. Em entrevista à revista especializada watson, o Dr. Bernd Eisenstein, Diretor do Instituto Alemão de Pesquisa em Turismo, interpretou isso como a recuperação do mercado: “Durante o período de amplas restrições, houve uma demanda reprimida por viagens que agora está realmente se afirmando.” 

Esse efeito também é perceptível em um segmento diferente do mercado. De acordo com a Associação Alemã de Aviação, o número de assentos de passageiros agora disponíveis para o mercado de turismo aumentou 3% em comparação com o verão de 2019. Em entrevista à Deutsche Presseagentur, Jens Bischof, Chefe da Líder de Mercado, Eurowings, disse: “Depois de dois anos de pandemia, milhões de pessoas finalmente querem colocar as férias em dia ou reencontrar importantes contatos de negócios cara a cara.” Por isso, a partir de março, sua companhia aérea voaria para mais destinos do que nunca. De acordo com a Eurowings, o foco dos turistas está no Mediterrâneo. Entre os destinos mais populares estão Espanha, Portugal, Grécia e Itália. Os destinos europeus estão geralmente no topo da lista dos turistas alemães. De acordo com o GCS, 54% das pessoas que viajam este ano planejam passar férias na Europa e 18% na Ásia, que ficou em segundo lugar. 


Covid Mudou Muito - Mas Nem Tudo 

Não é segredo que a pandemia mudou fundamentalmente o comportamento de viagem dos turistas nos mercados doméstico e internacional. De acordo com o GCS, a pandemia influenciou o comportamento de viagem de 90% dos viajantes na Alemanha, Reino Unido e EUA. Esse impacto parece ser duradouro: apenas 31% dos entrevistados não acreditam que as mudanças no comportamento de viagem sejam permanentes. 

No entanto, algumas coisas permanecerão como estão. Como os horários de voos da Eurowings na Alemanha e as conclusões do GCS parecem mostrar, as razões para a escolha de um destino praticamente não mudaram. Em 2022, como em 2019, os cinco critérios mais importantes listados pelos alemães para um destino de férias são o clima, a natureza, a segurança pessoal no destino, as atrações locais e o preço. Quanto aos preços, 36% dos entrevistados na Alemanha querem gastar mais nas férias do que antes da pandemia, 31% a mesma quantia e 31% pretendem gastar menos. 

Especificamente, 50% dos viajantes planejam gastar mais de 2.000 euros consigo mesmos e, quando aplicável, com sua família, enquanto 17% planejam gastar mais de 3.000 euros. 

Em última análise, a indústria do turismo pode esperar que os negócios voltem durante o verão, e em alguns mercados e em alguns destinos já atingirá níveis pré-pandemia. 

Comentários