Destaque Da Semana

Accor Fecha 2020 Com Taxa De Ocupação De 32% Na América Do Sul

Apesar de ano desafiador, principalmente para o setor de Turismo, Accor reafirma sua liderança na região com novas aberturas, conversões e o lançamento de novos produtos, como a chegada do primeiro hotel By Mercure do mundo

Em um ano difícil como 2020, com a pandemia afetando todos os setores, sendo o de Turismo um dos mais impactados economicamente, a Accor encerrou 2020 com resultados abaixo de 2019, como esperado. A receita consolidada do grupo foi de € 1.621 milhões em 2020, uma redução de 54,8% em termos comparáveis e de 60,0% conforme reportado, ambos em comparação com o ano de 2019. Já na América do Sul, a receita foi de € 76 milhões, representando uma queda de 58% like-for-like e de 69% com relação a 2019, conforme reportado.

(© Accor)

De acordo com o comunicado global divulgado no dia 24 de fevereiro, a Accor demonstrou resiliência e adaptabilidade em relação aos desafios do ano anterior, sem precedentes na história do turismo. E, apesar dos resultados consolidados, vem demostrando sinais de recuperação desde o último trimestre na América do Sul, além de Ásia, Oriente Médio e África.

Esse impacto na receita é o reflexo da queda do RevPAR como resultado das diversas medidas tomadas pelos governos com o objetivo de conter os contágios do coronavirus. Dessa forma, a queda de RevPAR foi de 62% com relação a 2019, em like-for-like basis, principalmente resultado da redução da taxa de ocupação, que ficou em 32%.

Na América do Sul, a taxa de ocupação ficou em 23%, uma queda de 34 pontos em relação a 2019, que foi o principal motivo para a redução de RevPAR de 61,9%, em like-for-like basis, com impacto similar em todos os segmentos.

"Apesar de números que nos colocam em patamares abaixo dos anos recentes, já tínhamos essa visão de que fecharíamos o ano em queda. Porém, trazemos também notícias boas como aberturas e o lançamento de novos serviços", declarou Thomas Dubaere, CEO Accor América do Sul, que chegou à região em outubro do ano passado.

Foram 14 novos hotéis abertos em 2020 na América do Sul (1.800 quartos), além da assinatura de 13 novos contratos (1.565 quartos), um ritmo semelhante ao dos anos anteriores. "A América do Sul é uma região muito importante para a Accor, onde somos líderes de mercado e, para a expansão do turismo, tem um grande potencial de crescimento no segmento de lazer. Por esse motivo, estamos focados em dar continuidade ao nosso plano de expansão na região, que ainda conta com muito espaço para novos hotéis e excelentes opções de investimentos. Já assinamos 3 novos contratos em 2021 e esperamos outros mais", comentou Dubaere.

Para 2021 estão previstas 30 aberturas na América do Sul, com destaque para: SLS Puerto Madero (Argentina), Sofitel Baru (Colômbia), MGallery Montevidéu (Uruguai), Pullman Miraflores (Peru), Novotel e ibis Santa Cruz de la Sierra (Bolivia), Sofitel Ipanema, MGallery Pipa, Novotel São Paulo Jardins, Novotel Lençóis Paulista, JO&JOE Largo do Boticário e combo Novotel BH Savassi e ibis budget BH Savassi - todos no Brasil.

Ainda neste ano, o objetivo é ampliar as franquias e focar nas categorias de luxo e lifestyle. "Lançamos o plano de expansão 42k24 para a América do Sul, com o objetivo de chegar a 42 mil quartos de hotéis franqueados até 2024 na região, e acreditamos muito na expansão da nossa rede com essa estratégia", disse Abel Castro, Vice-Presidente Sênior de Desenvolvimento e Novos Negócios Accor América do Sul.

Atualmente, são cerca de 62 mil apartamentos, em 393 hotéis, sendo 170 franquias. "Na América do Sul, mais de 70% dos hotéis hoje ainda são independentes. Por isso, existe um mercado enorme, com potencial muito grande para conversões e acreditamos que 2021 será o ano das franquias no Turismo", comentou Castro.

Foi pensando nessas possibilidades que, em 2021, a Accor anunciou a chegada do primeiro hotel ‘By Mercure’ na região, uma marca inovadora, projetada para acolher hotéis de qualidade e médio porte à valiosa família Mercure. O Thermas de Olímpia Resorts By Mercure, no estado de São Paulo, Brasil, é o primeiro hotel do mundo a receber a designação "By Mercure".

O ano de 2021 também trouxe outra novidade: o anúncio do ibis Styles Maragogi. Localizado em uma das regiões mais procuradas pelos turistas brasileiros, o primeiro resort da marca ibis Styles deve iniciar suas atividades em 2024.

Os segmentos midscale e econômico também terão outras novidades, com a previsão de 24 aberturas, e, dentre elas, três conversões. Além disso, teremos duas reaberturas de hotéis que foram remodelados: Mercure Rio de Janeiro Copacabana e Novotel Salvador. "Temos boas perspectivas com as novidades deste ano. Estamos chegando a cidades que ainda não tinham hotéis com padrão internacional, porém que têm bastante potencial turístico", comenta Olivier Hick, COO das marcas midscale e econômicas da Accor no Brasil.

O lançamento de novos produtos também rendeu bons frutos em 2020, como o Room-Office, o Long Stay e o Dark Kitchen no Brasil. O Room-Office, inclusive, teve mais de 1.200 diárias vendidas, e hoje faz parte do WOJO, marca lançada no Brasil no início deste ano.

Com isso, os hotéis Accor pelo Brasil passam a oferecer três serviços: o WOJO SPOT, SALAS PRIVATIVAS BY WOJO e o ROOM OFFICE BY WOJO. "Nosso objetivo é lançar o produto WOJO SPOT em 100 hotéis até o final de 2021 e, até 2022, termos quase 100% dos hotéis da Accor no país com esse produto em funcionamento", disse Hick.

E 2021 trouxe mais novidades para a América do Sul, bem como para todo o universo Accor, com o anúncio da parceria com o Faena, presente em Buenos Aires e Miami, uma das marcas com maior impacto mundial na indústria hoteleira e no segmento de lifestyle de luxo, visando a expansão da marca para destinos estratégicos em todo o mundo.

Além do Faena, as marcas já tradicionais de luxo e lifestyle da Accor permanecem em crescimento na região, com 6 inaugurações previstas para o ano, sendo uma delas uma conversão. Também estão passando por uma revitalização hotéis importantes destes segmentos, como o Grand Mercure Recife, Grand Mercure Copacabana e Pullman Vitacura em Santiago do Chile.

"Com todos esses movimentos nos últimos anos, nosso objetivo é transformar nossas marcas em líderes indiscutíveis no segmento de luxo e lifestyle, tornando-as provedoras de experiências inesquecíveis", declarou Philippe Trapp, COO das marcas luxo e lifestyle da Accor na América do Sul.

E, para dar suporte a todas essas estratégias, está o ALL - Accor Live Limitless, novo programa de fidelidade da Accor que completou um ano em 2020. Já consolidado entre os públicos da empresa, agora ele conta com todo o portfólio de marcas Accor na América do Sul, com a recente inclusão do ibis budget em seu ecossistema. Para se ter uma ideia, em 2020, 50% das estadias nos hotéis Accor na região foram de clientes ALL - Accor Live Limitless .

"O ALL - Accor Live Limitless é muito importante para a nossa estratégia e em 2021 não será diferente. Continuaremos inovando o nosso programa e oferecendo cada vez mais benefícios aos nossos associados, com parcerias, hospitalidade estendida, ofertas em A&B e em soluções de trabalho, com o WOJO, por exemplo. Continuaremos nos apoiando muito nas agências e agentes de viagens também", comentou André Sena, CCO Accor América do Sul.