Publicidade

Postagem Em Destaque

TUI Reinicia Atividades De Verão Em Toda Europa

Imagem
A temporada de verão 2020 começa em mais e mais países. Todos os operadores turísticos e companhias aéreas da TUI estão prontos para reiniciar seus negócios. Os primeiros vôos de lazer já decolaram, por ex. da Alemanha, Bélgica ou Suíça. As Ilhas Baleares, Grécia, Chipre, Portugal e Croácia estão no foco das primeiras férias.


A TUI aprecia a iniciativa da Comissão Europeia de reabrir as viagens para países fora da UE em breve. É correto e reflete a demanda de muitos turistas em permitir viagens para países fora da UE sempre que possível de maneira segura e responsável, como na Turquia ou Marrocos. As conversas com os respectivos governos dão confiança de que seus protocolos de saúde e segurança atendem aos mais altos padrões da UE. Como um grupo de turismo integrado com suas próprias operadoras de turismo, hotéis e companhias aéreas, a TUI está bem preparada para oferecer férias nesses destinos populares a curto prazo, uma vez que as restrições nacionais de viagens tenham sido levanta…

Publicidade

Latam Airlines Espera Crescimento Moderado De Sua Frota Até 2021

Mantendo uma política de controle de capacidade e tendo definido o plano de entrega de novas aeronaves para os próximos anos, a Latam Airlines não espera um crescimento significativo em sua frota até 2021. De acordo com as últimas projeções entregues pela companhia aérea, o número total de aeronaves para os próximos dois anos aumentaria das 337 unidades previstas para este ano para 341, embora apenas 335 estarão em operação.


Atualmente, a Latam Airlines indica que possui contratos de wet lease ou ACMI com a empresa espanhola Wamos Air para um Airbus A330-200, e um lease (dry-lease) com a Boeing Capital para um B777-200ER, que são usados ​​para mitigar a ampliação do programa de manutenção preventiva dos motores Rolls Royce Trent 1000, pacote C, que equipam a frota B787 (modelos -8 e -9). Nos meses anteriores, a empresa retornou duas aeronaves dos mesmos modelos indicados, indicando uma diminuição, e maior controle do impacto de manutenção preventiva em relação ao ano anterior.

Ao apresentar os resultados financeiros do segundo trimestre (2T2019), a Latam Airlines observa que os compromissos da frota para 2019 alcançaram US$ 1.1 bilhão, com aproximadamente US$ 676 milhões contabilizados como despesas de capital. "Até o momento, a Latam Airlines financiou com sucesso todas as suas entregas, em 2019, e com uma combinação de vendas e contratos de arrendamento e financiamento JOLCO, que consiste em títulos securitizados seniores e ações japonesas", explicam.

Para este ano, informações oficiais indicam que a Latam Airlines espera encerrar este ano com 337 aeronaves distribuídas, em 328, em operação com a companhia aérea, e nove sublocações para terceiros. Entre as aeronaves arrendadas estão cinco A320, três A350-900 e um B767-300F. A frota operacional da empresa seria composta por 240 aeronaves de corredor único (46 A319, 132 A320, 13 A320neo e 49 A321) e 77 equipamentos wide-body (10 A350-900, 31 B767-300ER, 10 B777-300ER, 10 B787-8 e 16 B787-9), e mais 11 B767-300F.

Em 2020, não é esperado um crescimento no número de aeronaves, o que não implica atrasos de parada ou entrega. Pelo contrário, espera-se que um aumento de cinco A320neo compense a produção de cinco A319 e quatro A320 mais antigos, juntamente com a recepção dos primeiros quatro A321neo. Além disso, o aumento em duas unidades de A350-900 e B787-9, respectivamente, e a saída de duas B767-300ER são esperadas. Na frota de sublocação, uma redução do A350-900 é considerada a saída de uma unidade sob este regime.

“Até 2020, os compromissos esperados da frota alcançam um nível de US$ 708 milhões. A empresa trabalha constantemente no ajuste de sua frota ao cenário atual de demanda, de forma a otimizar seu uso, e consequentemente, sua utilidade ”, explicam da Latam Airlines, em comunicado - onde anteriormente, a empresa havia indicado que buscava maior eficiência no uso de suas aeronaves como parte de sua política de redução de custos.

Comentários