Destaque Da Semana

ETC: Europeus Estão Mais Confiantes E Relaxados Para Viajar Nos Próximos Meses

- 2 em cada 3 europeus planejam viajar nos próximos seis meses, com base na confiança restaurada durante o verão

- As viagens intra-europeias superam as viagens domésticas: 55% dos viajantes de curto prazo preferem visitar outro país europeu

- As viagens aéreas estão aumentando, com mais de 50% dos entrevistados afirmando que se sentem confortáveis ​​em pegar um avião novamente

Bruxelas - Embora a alta temporada de verão tenha ficado para trás, o desejo de viajar continua forte por toda a Europa. 66% dos europeus planejam viagens até março de 2022, enquanto o aumento da confiança em quando, onde e como viajar indica uma perspectiva positiva do turismo para os próximos meses. Isto está de acordo com a pesquisa mais recente sobre "Monitoramento de Sentimento para Viagens Domésticas e Intra-Europeias - Onda 9" pela Comissão Europeia de Viagens (ETC), que fornece uma visão oportuna sobre as intenções de viagens de curto prazo dos europeus e preferências durante a pandemia COVID-19.

Os Viajantes Ansiosos Estão Mais Abertos A Viagens De Curto Prazo

Pela primeira vez desde outubro de 2020, os planos de viagem dos europeus estão distribuídos uniformemente nos próximos seis meses: 26% optam por viagens entre outubro e novembro, 28% entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022 e 25% viajam em fevereiro e março 2022. Estes resultados indicam que um número crescente de europeus já não se encontra em “modo de espera” para viajar e se sente muito mais confiante para embarcar em viagens espontâneas.

À medida que o sentimento de viagem continua a melhorar e as restrições à pandemia se tornam o novo normal, os europeus ‘prontos para viajar’ estão mais determinados a cumprir seus planos de viagem (até 39% em relação à pesquisa anterior), em vez de esperar ou adiar.


As Escapadelas Da Europa São Uma Das Melhores Escapadelas De Última Hora

As escapadelas intra-europeias estão agora na vanguarda, indicando maior conforto para viajar internacionalmente: mais de 1 em cada 2 europeus com planos de viagem de curto prazo irão para outros países europeus, um aumento de 41% desde setembro de 2020. Enquanto isso, as preferências por viagens domésticas (32%) diminuiu 18% nos últimos doze meses. Os destinos do Mediterrâneo estão em primeiro lugar na lista de desejos dos viajantes, com Espanha e Itália (ambos 9%), França (8%) e Grécia (7%) como as principais preferências.

O desejo de férias na cidade (18%) atingiu agora o pico em 2021, com um aumento de 43% desde o verão de 2021, embora o apelo de férias no litoral também continue forte. Ao mesmo tempo, o planejamento de viagens está se tornando cada vez mais de última hora, já que apenas 29% dos europeus com planos de viagem para outubro ou novembro reservaram sua viagem totalmente. Isso cai ainda mais, para 15%, entre os que viajam no final de 2021. O maior interesse em City Breaks e reservas de última hora é outro indicador do retorno gradual à normalidade e de viagens mais espontâneas no futuro próximo.

Mais férias na cidade vêm junto com o aumento da popularidade de viagens mais curtas de até 3 noites (30% dos viajantes em férias na cidade). A redução da duração da viagem também afeta os orçamentos, uma vez que a proporção de viajantes que pretendem gastar até 500 euros na viagem aumenta 20% em relação ao inquérito anterior, em detrimento de níveis de despesas mais elevados (mais de 1.000 euros).


A Preferência Por Viagens Aéreas Aumenta, Embora As Preocupações Com Saúde E Segurança Continuem Fortes

Apesar de uma hesitação persistente em relação às viagens aéreas, mais de 50% dos europeus "prontos para viajar" agora estão ansiosos para mudar para o transporte aéreo (um aumento de 13% em relação à pesquisa anterior). Este é outro sinal de maior confiança do consumidor em relação ao uso de voos comerciais para otimizar o tempo de viagem.

Apesar de sua maior vontade de viajar nos próximos seis meses, 63% dos viajantes "madrugadores" ainda contam com protocolos de saúde e segurança no destino, pois isso os faz sentir mais confortáveis ​​e propensos a aproveitar a viagem. Os destinos e as empresas de turismo devem tranquilizar os viajantes por meio de medidas eficazes do COVID-19, especialmente em relação às áreas de maior preocupação: viagens aéreas, transporte no destino e atrações locais.