Destaque Da Semana

BA, Virgin Atlantic E Heathrow Lançam Verificação De Testes Covid-19 No Reino Unido

- No final desta semana, os passageiros que viajam em voos selecionados dos EUA, Caribe e Europa para Londres Heathrow serão convidados a participar de um teste para apoiar o governo no levantamento de algumas das restrições mais onerosas para viajantes que chegam de países da 'lista âmbar'

- Viajantes totalmente vacinados de todas as nacionalidades poderão apresentar suas credenciais Covid-19 em formato digital ou papel para ajudar a provar que o status de vacinação pode ser rápida e facilmente verificado fora da fronteira e permitir a entrada segura no Reino Unido

- Os dados anônimos serão compartilhados com o governo do Reino Unido na primeira oportunidade, fornecendo percepções do mundo real para apoiar a introdução de um esquema para isentar os passageiros totalmente vacinados do auto-isolamento

- Os participantes continuarão a aderir às restrições atuais para os viajantes que entram de países da 'lista âmbar' durante o período de teste

- A prova de conceito visa apoiar o governo a introduzir isenções para viajantes totalmente vacinados até 19 de julho, permitindo ao Reino Unido recuperar o atraso com a UE e os EUA, que já introduziram esquemas semelhantes

- Rotas incluindo Los Angeles-LAX e New York-JFK foram escolhidas devido às ligações aéreas transatlânticas entre os EUA e o Reino Unido serem vitais para reiniciar negócios, reunir famílias e permitir que as pessoas saiam de férias

A British Airways, Virgin Atlantic e Heathrow uniram forças para provar que é possível verificar de forma rápida e fácil quem chega ao Reino Unido e está totalmente vacinado - um processo de identificação já em vigor para viagens de ida a vários países. No início desta semana, a Alemanha se tornou o último país a confirmar que aceitaria viajantes do Reino Unido totalmente vacinados, sem a necessidade de quarentena. O novo teste de comprovação do Reino Unido, permitindo que os viajantes que chegam apresentem seu status de vacinação completa, ajudará o governo a avançar com seus planos para remover a quarentena para passageiros com punção dupla que entram no Reino Unido vindos de países com "lista âmbar".

A iniciativa verá voluntários totalmente vacinados viajando em voos selecionados de Atenas, Los Angeles, Montego Bay e Nova York para Londres Heathrow mostrando provas de seu status de vacina. O ensaio visa assegurar ao governo que as companhias aéreas e os aeroportos podem verificar o status da vacina a montante e fora da fronteira, garantindo que não haja mais pressão nos corredores de imigração do Reino Unido. Os participantes do teste poderão usar uma faixa exclusiva de desembarque na fronteira e os passageiros da British Airways poderão acessar uma tarifa com desconto para os testes de desembarque obrigatórios.

As credenciais de vacinação reconhecidas internacionalmente serão aceitas no teste de comprovação, incluindo o aplicativo NHS, o cartão CDC, a certificação digital estadual dos EUA e a Credencial Digital Covid da UE. A British Airways também apoiará a verificação de vacinas dos passageiros por meio do aplicativo VeriFLY e os passageiros da Virgin Atlantic podem verificar seus certificados de vacina por meio de uma nova ferramenta de uploader digital, desenvolvida em parceria com a Delta Air Lines e apoiada pela tecnologia TrustAssure™. Conforme a prova de conceito se desenvolve, as opções para os passageiros mostrarem o status da vacina serão expandidas rapidamente, em formatos físicos, digitais e integrados, incluindo IATA Travel Pass.

O Reino Unido liderou o mundo com seu programa de vacinas bem-sucedido, que o governo prometeu que levaria ao fim das restrições da Covid. Até o momento, 86% dos adultos do Reino Unido receberam a primeira dose da vacina Covid, com 64% totalmente vacinados. Dados da Public Health England mostraram que duas doses das vacinas oferecem proteção de 79% contra adoecimento da variante Delta e reduzem a probabilidade de necessidade de hospitalização em 96%.

Apesar dessa conquista incrível, o Reino Unido não está colhendo as recompensas econômicas e sociais, ficando para trás em países como França, Alemanha, Grécia, Portugal, Chipre e Malta, que aceitam viajantes totalmente vacinados, incluindo residentes nos Estados Unidos, sem a necessidade de quarentena. Os EUA também permitem que seus residentes totalmente vacinados evitem o auto-isolamento. Os próprios dados de transparência do governo também continuam a mostrar positividade muito baixa nos resultados dos testes de chegadas de países 'verdes' e 'âmbar', com apenas 0,4% testando positivo, e nenhum deles tinha uma variante de preocupação.

Sean Doyle, CEO e Presidente da British Airways disse:

“Precisamos agir rapidamente para proteger os empregos, reconstruir a economia do Reino Unido e reunir nossos entes queridos. Já estamos ajudando nossos clientes a comprovar seu status de vacinação quando viajam para vários outros países fora do Reino Unido que o exigem, e estamos confiantes de que podemos fazer isso acontecer para a entrada na Grã-Bretanha também, muito rapidamente. Esperamos fornecer os dados que provam que é simples verificar o status de totalmente vacinado e que o Governo cumpra seu compromisso de fazer o país voltar a se mexer.”

Nos EUA, mais de 157 milhões de pessoas foram totalmente vacinadas - incluindo 58% dos adultos americanos - com voos domésticos retornando aos níveis pré-pandêmicos, provando que voar é seguro.

Shai Weiss, CEO da Virgin Atlantic disse:

“Para colher os benefícios do lançamento da vacina líder mundial do Reino Unido, o governo do Reino Unido deve agir agora para remover o auto-isolamento de passageiros totalmente vacinados que chegam de países 'âmbar', e o mais tardar na reabertura doméstica em 19 de julho. Nosso teste de prova de conceito em rotas selecionadas dos EUA e do Caribe demonstra nossa prontidão como indústria para operacionalizar rapidamente a nova política e trabalhar com o governo e as autoridades para garantir que ela seja implementada sem problemas e em ritmo, apoiando a reabertura do corredor transatlântico, sem que £ 23 milhões são perdidos a cada dia na economia do Reino Unido. O Reino Unido já está ficando para trás dos EUA e da UE e uma abordagem excessivamente cautelosa em relação às viagens internacionais impactará ainda mais a recuperação econômica e os 500.000 empregos no Reino Unido que estão em jogo.”

Representantes da indústria de viagens foram claros sobre as consequências para a economia e empregos do Reino Unido de não abrir o corredor com rapidez suficiente, com centenas participando de um dia de ação em 23 de junho. Hoje, Heathrow divulgou uma nova pesquisa do CEBR, reforçando a importância da aviação às ambições do governo para a Grã-Bretanha Global, o que poderia ajudar a indústria a impulsionar o comércio de £ 204 bilhões para beneficiar todos os cantos do Reino Unido. Heathrow alertou que isso não pode ser realizado a menos que a indústria de aviação do Reino Unido seja apoiada por políticas governamentais para retomar os voos o mais rápido possível. Capitalizando os dividendos da vacina do país, os ministros podem ajudar a entregar este estímulo econômico para os exportadores em toda a Grã-Bretanha, garantindo que o Reino Unido mantenha sua vantagem competitiva conforme o país saia do bloqueio.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro Boris Johnson reafirmou que este passo importante para isentar viajantes totalmente vacinados do auto-isolamento aconteceria "mais tarde neste verão", com o secretário de transportes Grant Shapps definido para fornecer mais detalhes esta semana. Espera-se que a prova de conceito incentive o governo a introduzir isenções para viajantes totalmente vacinados até 19 de julho, permitindo ao Reino Unido recuperar o atraso com a UE e os EUA, que já introduziram esquemas semelhantes.

John Holland-Kaye, CEO do Heathrow disse:

“Este piloto nos permitirá mostrar que as verificações do estado de vacinação antes da partida e da chegada podem ser realizadas com segurança, para que os passageiros totalmente vacinados possam evitar a quarentena a partir do dia 19 de julho. Além disso, o governo do Reino Unido deve fazer progressos na reabertura de viagens entre os EUA, depois que uma força-tarefa designada foi criada para analisar isso no G7. Heathrow é o principal porto de comércio de bens e serviços com os EUA, o único país com o qual o Reino Unido tem superávit comercial. Hoje, uma nova pesquisa demonstra o quão crítico é para a economia do Reino Unido fazer decolar os aviões de passageiros que transportam essas exportações. Este é um passo vital para cumprir as ambições do governo para a Grã-Bretanha Global e agora eles precisam agir rapidamente.”