Destaque Da Semana

Índia Relata Declínio Contínuo Na Ocupação De Hotéis Devido A Pandemia

Londres - Após um início melhorado para 2021, a ocupação hoteleira da Índia diminuiu rapidamente em meio à segunda onda de COVID-19 no país, de acordo com dados da STR.

Arquivo/BTS.news

A ocupação mensal da Índia atingiu um pico pandêmico em fevereiro (53,9%), o que parecia ser um progresso sólido em direção à recuperação, já que o nível mensal foi de aproximadamente 73% do comparável de 2019. Em abril, porém, a ocupação do país caía para 31,0% e, mais recentemente, apenas 21,5% na semana encerrada em 30 de maio.

“Vimos a resiliência da Índia como um mercado emergente no início de 2021”, disse Vidhi Godiawala, Gerente de Desenvolvimento de negócios da STR para a Ásia do Sul e Central. “Infelizmente, bloqueios massivos restringiram o movimento e os negócios nos últimos meses, fazendo com que o desempenho hoteleiro perdesse força. Até março deste ano, Índia e China trocavam de lugar pela maior intenção de viajar. Embora o sentimento atual de viagens permaneça obscuro, a recuperação da primeira onda nos dá motivos para acreditar que há luz no fim do túnel para hotéis no país.”

Embora o país como um todo tenha voltado aos níveis do final de 2020, alguns mercados estão experimentando métricas mais promissoras. Durante a semana que terminou em 30 de maio, Mumbai teve o nível de ocupação mais alto do país (43,2%) entre os mercados definidos pelo STR, que foi 60% da semana comparável em 2019. O mercado, no entanto, deve experimentar níveis de demanda achatados em 2022. Chennai (38,3%) e Gujarat (32,2%) também registraram níveis de ocupação mais altos com melhores comparações em 2019.

Um vídeo sobre o desempenho dos hotéis na Índia e os fatores que ajudarão a moldar o upcycle podem ser encontrados aqui.

Todas as análises COVID-19 do STR podem ser encontradas aqui.