IAG Vai Investir Em Combustíveis Sustentáveis Nos Próximos 20 Anos

O grupo aeronáutico anglo-espanhol International Airlines Group (IAG), que integra a Iberia, a British Airways, a Level, a Vueling e a Aer Lingus, investirá um total de US$ 400 milhões no desenvolvimento de combustíveis alternativos sustentáveis ​​nos próximos 20 anos - onde prova disso é a iniciativa que a companhia britânica BA irá realizar para impulsionar sua frota no futuro com combustível sustentável a partir do lixo. Desta forma, irá desenvolver a primeira fábrica de resíduos sólidos comerciais e domésticos, na Europa, para combustíveis sustentáveis.


A Altalto Immingham Limited, uma subsidiária da Velocys, empresa de combustíveis renováveis ​​e uma colaboração com a British Airways, e a Shell, apresentou um pedido de planejamento para desenvolver esta fábrica, em Immingham, North East Lincolnshire, perto do estuário de Humber.

A proposta coletaria mais de meio milhão de toneladas anuais de resíduos residenciais e comerciais domésticos não recicláveis ​​destinados a aterros sanitários ou incineração, como recipientes para alimentos, fraldas e xícaras de café, e os transformaria em um produto de limpeza que queima combustível de aviação - na qual a tecnologia, construída pela Velocys, reduzirá as emissões de gases do efeito estufa em 70% para cada tonelada de combustível de aviação sustentável que substitua uma tonelada de combustível fóssil convencional, o equivalente a retirar 40 mil carros das ruas por ano.

A British Airways pretende comprar combustível para aviões produzido nesta fábrica para uso em seus aviões. Este é um passo importante na redução das emissões de carbono da companhia aérea para os objetivos da indústria de crescimento neutro, em carbono, desde 2020, e uma redução de 50%, até 2050, em relação aos níveis de 2005.

O combustível também melhorará a qualidade do ar com uma redução de até 90% na fuligem do escapamento do motor da aeronave e uma redução de quase 100% nos óxidos de enxofre; e a tecnologia oferece uma rota de emissão mais baixa para processar resíduos do Reino Unido do que a incineração ou o aterro.

O desenvolvimento também deve gerar centenas de milhões de libras de investimento, centenas de empregos durante a construção e aproximadamente 130 empregos permanentes na região.

Alex Cruz, presidente e CEO da British Airways, disse que “combustíveis sustentáveis ​​podem ser uma mudança de jogo para a aviação que ajudará a impulsionar nossos aviões nos próximos anos. Este desenvolvimento é um passo importante na redução de nossas emissões de carbono e no cumprimento dos objetivos da indústria de crescimento neutro em carbono a partir de 2020, e uma redução de 50% de CO2, em 2050, a partir dos níveis de 2005 - onde traria o Reino Unido um passo mais perto de se tornar um líder mundial em combustíveis de aviação sustentável ”

Imagens: Google Imagens