Destaque Da Semana

Dados, Projetos E Parcerias Promissoras Foram Anunciados Durante O III Fórum CLIA Brasil 2019

Evento aconteceu na sede do Ministério do Turismo, em Brasília

O III Fórum CLIA Brasil 2019, que aconteceu na última quarta-feira (28), na sede do Ministério do Turismo, contou com anúncios de dados, projetos e parcerias promissoras para o setor de Cruzeiros.


O evento, organizado pela CLIA Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), chegou a sua terceira edição, e trouxe um dia de debates e trocas de informações, com o intuito de estimular a reflexão a respeito dos desafios da retomada do crescimento desta atividade no país. “O objetivo da CLIA é melhorar o ambiente de negócios para atrair mais navios de cruzeiros, abrir portas para os destinos, fortalecer o turismo e ter uma parceria de sucesso com o país, e com as comunidades, já que nosso setor é forte gerador de empregos, e de renda”, disse a presidente do Conselho da CLIA Brasil, Estela Farina.

Entre os participantes desta edição estiveram a presidente e CEO da Clia Global, Kelly Craighead, o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, o Presidente da FRENTUR, Dep. Federal Herculano Passos, o Pres. Da Comissão de Turismo, Dep. Federal Newton Cardoso, além de muitos outros nomes importantes da indústria.

Na cerimônia de abertura, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, anunciou que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) estuda disponibilizar uma linha de crédito para construção de 15 portos no Brasil. “O presidente do BNDES entrou nesta parceria conosco e irá financiar portos para que esses locais sejam atrativos para os turistas. Eles terão shoppings, lojas, restaurantes e hotéis para receber com mais conforto. Ter infraestrutura é muito importante para desenvolver os cruzeiros no país”, disse Marcelo.

Para a CEO da Clia Global, Kelly Craighead, o Brasil é um país incrível e o objetivo da CLIA é criar oportunidades para beneficiar a todos, gerando desenvolvimento econômico, emprego e promover os destinos nacional e internacionalmente. “Os cruzeiros nos últimos dez anos apresentaram crescimento, e em 2019, a expectativa é transportar 30 milhões de passageiros. Mas, além disso, o principal é o setor poder oferecer a esses passageiros experiências e oportunidades diferenciadas - onde a inovação e tecnologia fazem parte dessa experiência. E hoje o setor está muito preocupado com a responsabilidade que vem junto a todo esse crescimento”, declarou.

No primeiro painel do Fórum, Marco Ferraz falou sobre o potencial do setor. “Os norte-americanos são os principais passageiros do mercado com mais de 13 milhões de pessoas. Com a isenção de vistos, nosso objetivo é conseguir atrair esses viajantes para a costa brasileira. Já no Brasil, apenas 0,25% da população faz cruzeiros. O que significa que há um potencial enorme de crescimento”.

O executivo também apresentou o Estudo de Perfil e Impactos Econômicos de Cruzeiros Marítimos no Brasil – Temporada 2018/2019, levantamento realizado em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que traz dados inéditos do setor no Brasil, e no mundo.

No Brasil, a temporada 2018/2019 de Cruzeiros Marítimos (que teve início em 13 de novembro de 2018 e encerrou-se em 18 de abril de 2019) foi responsável por um impacto econômico de R$ 2.083 bilhões na economia do país. Esse número, que engloba tanto os gastos diretos, indiretos e induzidos das companhias marítimas, quanto os gastos de cruzeiristas e tripulantes, foi 16,2% maior em comparação ao período 2017/2018, o que significa um acréscimo de R$ 291 milhões.

Foram exatos 841 dias de navegação, com sete navios operando na costa brasileira, transportando, aproximadamente, 462 mil cruzeiristas (crescimento de 10,5% ante os 418 mil anteriores). Além disso, o setor de cruzeiros gerou 31.991 postos de trabalho na economia brasileira, 15,3% a mais que no período anterior.

Com a presença de importantes nomes de cada segmento, o evento ainda debateu os desafios da regulação  do setor; como os destinos estão trabalhando suas atrações e receptividade; trabalho a bordo e o direito internacional; investimentos e competitividade nos terminais de passageiros; e foi finalizado pelo tema: navios e meio ambiente, que entrou de vez na agenda prioritária dos cruzeiros marítimos, e que é essencial para o sucesso da indústria. As companhias estão comprometidas a implementar normas para a preservação do meio ambiente, como o investimento em tecnologias de combustíveis limpos, reciclagem e tratamento de água e resíduos, que também fazem dos novos navios além de limpos, mais eficientes.


Comentários