Dicas De Viagem

Documentos

- Providencie seu passaporte com pelo menos um mês de antecedência;
- Verifique o prazo de validade do passaporte e dos vistos;
- Ao receber passagens, confira os dados e serviços solicitados;
- Leve sempre uma cópia de seu passaporte;
- Leve carteira de motorista internacional: mesmo que não pretenda alugar carro, você pode precisar dela;
- Alguns países exigem vacina contra febre amarela. Verifique essa e outras possíveis exigências junto à representação do país estrangeiro no Brasil que Você irá visitar.


Bagagem

- Identifique sua mala (nome, endereço, telefone etc);
- Leve apenas o essencial;
- Na mala de mão, leve sempre uma muda de roupa e um casaco;
- Confira a voltagem do país e leve adaptadores de aparelhos elétricos.


Aeroporto

- Reconfirme o voo de ida ou volta pelo menos 24 horas antes;
- Chegue ao aeroporto no mínimo duas (2) horas antes do embarque;
- A Receita Federal do Brasil não emite qualquer documento para comprovação da saída de bens ao exterior constantes de bagagem de viajante. Portanto, para comprovar que você está viajando com bens estrangeiros adquiridos no país, como filmadoras ou computadores pessoais, leve as notas fiscais destes bens;
- No caso de bens adquiridos no exterior e trazidos para o País em outra viagem, leve o número da e-DBV (declaração eletrônica de bens de viajante) ou do Extrato de Bens - RTE ou da DBA (declaração de bagagem acompanhada) devidamente desembaraçada, contendo a descrição detalhada do bem;
-Nunca deixe sua bagagem desacompanhada;
- No aeroporto, não aceite pedidos para levar encomendas;
- Responda com seriedade às perguntas da Polícia Federal e da imigração.


Dinheiro

- Evite carregar notas de valores altos;
- Leve um ou mais cartões de crédito internacionais;
- Traveller's Checks são seguros e bem aceitos, mas para trocar é necessária a apresentação do passaporte ou cópia;
- Nunca transporte todo o dinheiro num só lugar;
- Troque pequenas quantias no aeroporto para despesas de táxi, gorjetas e só depois procure taxas de câmbio melhores.


Pacotes de Viagem

- Confira nos vouchers os dados e serviços solicitados;
- Se um serviço incluso no pacote não acontecer, tome as providências necessárias mas peça recibo para reembolso;
- Leia com atenção as condições gerais do pacote.


Saúde

- Leve os próprios medicamentos, já que é difícil comprar remédios sem receita médica no exterior;
- Faça um seguro saúde, sua garantia em casos de emergência.


Hotéis

- Lembre-se que o horário de entrada (check in) costuma ser às 14 hrs ou 16 hrs e o de saída (check out) às 12 hrs;
- Se fizer ligação do quarto será cobrada uma taxa;
- As taxas do canal de televisão pago (pay channel) costumam ser caras;
- Guarde dinheiro e objetos de valor no cofre do hotel.


Carros

- Verifique marca e modelo antes de reservar;
- Faça sempre um seguro;
- Deixe para abastecer fora da locadora, pois a gasolina é mais barata;
- Respeite as leis de trânsito e os limites de velocidade no exterior, pois as multas são caras.


Passeios

- Verifique a segurança geral do lugar que quer conhecer;
- Confira os horários dos costumes locais (shoppings, restaurantes, etc.)
- Qualquer problema ou dúvida peça ajuda a um policial;
- Guarde os recibos das compras e não se esqueça que as taxas (impostos) não estão no valor da etiqueta;
- Quando sair, leve sempre o telefone e endereço do hotel.


Fonte: Portal Consular




ECOTURISMO

1 - Planejamento é fundamental

– Entre em contato prévio com a administração da área que você vai visitar para tomar conhecimento dos regulamentos e restrições existentes.

- Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais.

- Viaje em grupos pequenos de até 10 pessoas. Grupos menores se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impacto.

- Evite viajar para as áreas mais populares durante feriados prolongados e férias.

- Certifique-se de que você possui uma forma de acondicionar seu lixo (sacos plásticos), para trazê-lo de volta.

- Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita conforme o seu condicionamento físico e seu nível de experiência.



2 - Você é responsável por sua segurança

- O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo, podendo levar dias e causar grandes danos ao ambiente. Portanto, em primeiro lugar, não se arrisque sem necessidade.

- Calcule o tempo total que passará viajando e deixe um roteiro da viagem com alguém de confiança, com instruções para adicionar o resgate, caso necessário.

- Avise a administração da área que você está visitando sobre: sua experiência, o tamanho do grupo, o equipamento que vocês estão levando, o roteiro e a data esperada de retorno. Estas informações facilitarão o seu resgate em caso de acidente.

- Aprenda as técnicas básicas de segurança, como navegação (como usar um mapa e uma bússola) e primeiros-socorros. Para tanto, procure os clubes excursionistas, escolas de escalada etc.

- Tenha certeza de que você dispõe do equipamento apropriado para cada situação. Acidentes e agressões à natureza em grande parte são causados por improvisações e uso inadequado de equipamentos. Leve sempre: lanterna, agasalho, capa de chuva e um estojo de primeiros-socorros, alimento e água, mesmo em atividades com apenas um dia ou poucas horas de duração.

- Caso você não tenha experiência em atividades recreativas em ambientes naturais, entre em contato com centros excursionistas, empresas de ecoturismo ou condutores de visitantes. Visitantes inexperientes podem causar grandes impactos sem perceber e correr riscos desnecessários.



3 - Cuide das trilhas e dos locais de acampamento

– Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas – não use atalhos que cortam caminhos. Os atalhos favorecem a erosão e a destruição das raízes e plantas inteiras.

- Mantenha-se na trilha mesmo se ela estiver molhada, lamacenta ou escorregadia. A dificuldade das trilhas faz parte do desafio de vivenciar a natureza. Se você contorna a parte danificada de uma trilha, o estrago se tornará maior no futuro.

- Acampando, evite áreas frágeis que levarão um longo tempo para se recuperar após o impacto. Acampe somente em locais pré-estabelecidos, quando existirem. Acampe a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água.

- Não cave valetas ao redor das barracas, escolha melhor o local e use um plástico sob a barraca.

- Bons locais de acampamento são encontrados, não construídos. Não corte nem arranque a vegetação, nem remova ao acampar.



4 - Traga seu lixo de volta

- Se você pode levar uma embalagem cheia para um ambiente natural, pode trazê-la vazia na volta.

- Ao percorrer uma trilha, ou sair de uma área de acampamento, certifique-se de que elas permaneçam como se ninguém houvesse passado por ali. Remova todas as evidências de sua passagem. Não deixe rastros !

- Não queime nem enterre o lixo. As embalagens podem não queimar completamente, e animais podem cavar até o lixo e espalhá-lo. Traga todo o seu lixo de volta com você.

- Utilize as instalações sanitárias que existirem. Caso não haja instalações sanitárias (banheiros) na área, cave um buraco com quinze centímetros de profundidade a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água, trilhas ou locais de acampamento, em local onde não seja necessário remover a vegetação.



5 - Deixe cada coisa em seu lugar

– Não construa qualquer tipo de estrutura, como bancos, mesas, pontes etc. Não quebre ou corte galhos de árvores, mesmo que estejam mortas ou tombadas, pois podem estar servindo de abrigo para aves ou outros animais.

- Resista à tentação de levar “lembranças” para casa. Deixe pedras, artefatos, flores, conchas etc. onde você os encontrou, para que outros também possam apreciá-los.

- Tire apenas fotografias, deixe apenas leves pegadas, e leve para casa apenas suas memórias.



6 - Não faça fogueiras

- Fogueiras matam o solo, enfeiam os locais de acampamento e representam uma grande causa de incêndios florestais.

- Para cozinhar, utilize um fogareiro próprio para acampamento. Os fogareiros modernos são leves e fáceis de usar. Cozinhar com um fogareiro é muito mais rápido e prático que acender uma fogueira.
- Para iluminar o acampamento, utilize um lampião ou uma lanterna em vez de uma fogueira.

- Se você realmente precisa acender uma fogueira, utilize locais previamente estabelecidos, e somente se as normas da área permitirem.

- Mantenha o fogo pequeno, utilizando apenas a madeira morta encontrada no chão.

- Tenha absoluta certeza de que sua fogueira está completamente apagada antes de abandonar a área.



7 - Respeite os animais e as plantas

- Observe os animais a distância. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque, mesmo de pequenos animais. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves.

- Não alimente os animais. Os animais podem acabar se acostumando com comida humana e passar a invadir os acampamentos em busca de alimento, danificando barracas, mochilas e equipamentos.
- Não retire flores e plantas silvestres. Aprecie sua beleza no local, sem agredir a natureza e dando a mesma oportunidade a outros visitantes.



8 - Seja cortês com outros visitantes e com a população local

- Ande a acampe em silêncio, preservando a tranquilidade e a sensação de harmonia que a natureza favorece. Deixe rádios e instrumentos sonoros em casa.

- Deixe os animais domésticos em casa. Caso traga o seu animal com você, mantenha-o controlado todo o tempo, incluindo evitar latidos ou outros ruídos. As fezes dos animais devem ser tratadas da mesma maneira que as humanas. Elas também estão sob sua responsabilidade. Muitas áreas não permitem a entrada de animais domésticos, verifique com antecedência.

- Cores fortes, como branco, azul, vermelho ou amarelo, devem ser evitadas, pois podem ser vistas a quilômetros de distância e quebram a harmonia dos ambientes naturais. Use roupas e equipamentos de cores neutras, para evitar a poluição visual em locais muito frequentados.

- Colabore com a educação de outros visitantes, transmitindo os princípios de mínimo impacto sempre que houver oportunidade.

(Textos produzidos pelo Programa Nacional de Áreas Protegidas - IBAMA)



EXTRAS

Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

Usar preservativos é uma das maneiras mais práticas e eficazes de se proteger contra o HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis. Evidências científicas demonstram também que o vírus Zika pode ser transmitido por meio das relações sexuais. No Brasil, os preservativos feminino e masculino e o gel lubrificante podem ser retirados gratuitamente em postos de saúde, unidades de pronto atendimento, albergues, Centros de Atendimento ao Turista e em outros pontos de distribuição espalhados pelas cidades.


Cuidados com o Sol

O Brasil possui um clima tropical com alta incidência solar e calor na maior parte do ano. Proteja-se do sol com roupas apropriadas, utilize chapéu ou boné e protetores solares. Evite a exposição direta ao sol entre às 10 horas da manhã e 16 horas da tarde. Beba bastante líquido.


Alimentação

Evite beber água da torneira, de rios, bicas e nascentes. Nem todos os estados possuem água adequada para consumo diretamente das torneiras. O ideal é consumir água mineral envasada. Tome muito líquido. Caso apresente, em 24 horas, três episódios de diarreia ou um episódio de diarreia com vomito, procure imediatamente o serviço de saúde.

- Limpeza de ambientes, restaurantes, banheiros, utensílios serem utilizados, dê preferência aos descartáveis;
- Lave as mãos sempre;
- Às condições de conservação, temperatura e apresentação dos alimentos;
- Evite comer alimentos de ambulantes ou de procedência duvidosa;
- Evite comer carnes cruas e malcozidas;
- Evite ingerir ovos crus;
- Lave as frutas e verduras antes de consumir;
- Não consumir alimentos que apresentem as embalagens rasgadas, lacres e tampas abertas, estufadas ou com data de validade vencidas.


Animais

Mamíferos

Em caso de mordidas ou arranhadura por cão, gato, morcego, ou qualquer outro animal silvestre, lave o local atingido com água corrente e sabão, e procure imediatamente o serviço de saúde.


Peçonhentos

Se tiver acidentes com escorpiões, cobras, aranhas, abelhas e lagartas, não realize procedimentos caseiros e procure imediatamente o serviço de saúde público local. Durante o socorro, mova-se o mínimo possível. O membro atingido deve ser colocado numa posição mais elevada em relação ao corpo e o local da picada pode ser lavado apenas com água e sabão. E, lembre-se, antes de colocar sapatos e roupas, observe se não há pequenos animais peçonhentos no interior. Aranhas e escorpiões, podem se instalar dentro dos sapatos.


Águas Vivas e Caravelas

Para alívio da dor inicial, use compressas geladas de água do mar. Em seguida, realize a lavagem do local da lesão com ácido acético a 5% (Ex. vinagre), sem esfregar a região acometida. Posteriormente, aplique uma compressa do mesmo produto por cerca de 10 minutos, para evitar o aumento do envenenamento. É importante não utilizar água doce para lavagem do local da lesão e nas compressas geladas, pois pode piorar o quadro do envenenamento. A remoção dos tentáculos aderidos à pele deve ver realizada de forma cuidadosa, preferencialmente com uso de pinça ou lâmina. Procure assistência médica para avaliação clínica do envenenamento.


Insetos

É preciso ficar atento ao risco de infecção por doenças transmitidas por mosquitos, como malária, dengue, febre amarela, chikungunya e vírus Zika. Para se prevenir, veja algumas medidas simples:

1 - Aplique repelente nas áreas expostas da pele, seguindo a orientação do fabricante;

2 - Hospede-se em locais que disponham de telas de proteção nas portas e janelas, especialmente se estiver longe das capitais, ou leve o mosquiteiro/cortinado como alternativa;

3 - Em passeios ecoturísticos, utilize roupas que protejam o corpo contra picadas de insetos e carrapatos, como camisas de mangas compridas, calças, meias e sapatos fechados;

4 - Em localidades com transmissão de Malária (Região Amazônica), permaneça, principalmente no período entre o anoitecer e o amanhecer, em locais com barreiras para entrada de insetos como telas de proteção, mosquiteiros, ar-condicionado e use sempre repelente.


Intoxicação

Caso perceba algum tipo de intoxicação por exposição a produtos químicos (medicamentos, desinfetantes sanitários, uso de drogas, produtos químicos industriais e agrotóxicos de uso agrícola), peça orientação pelo disque-intoxicação: 0800-722-6001 (ligação gratuita). Caso esteja no exterior, procure imediatamente o serviço de saúde.

Fonte: MS



Comentários