Cabo Frio

Etimologia

Cabo Frio é um município brasileiro da Região dos Lagos no estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma latitude 22º52'46" sul e a uma longitude 42º01'07" oeste, estando a uma altitude de 4 metros acima do nível do mar.

É a cidade da região dos lagos com maior economia e exerce determinada influência no cenário estadual. A cidade se consolidou como um influente polo turístico, e é uma importante parte da rota de turismo fluminense, sendo o principal destino da chamada Costa do Sol.


História

A ocupação humana das terras onde viria se estabelecer a cidade de Cabo Frio teve início há mais ou menos seis mil anos, quando um pequeno bando nômade de famílias chegou em canoas pelo mar e acampou no Morro dos Índios até então pequena ilha rochosa na atual barra da Lagoa de Araruama e ponto litorâneo extremo da margem de restinga do Canal do Itajuru.

Em 1503, a terceira expedição naval portuguesa para reconhecimento do litoral brasileiro, sofreu um naufrágio em Fernando de Noronha e a frota remanescente se dispersou. Dois navios, sob o comando de Américo Vespúcio, seguiram viagem até a Bahia e depois até Cabo Frio. Junto ao porto da barra de Araruama, os expedicionários construíram e guarneceram com 24 "cristãos" uma fortaleza feitoria para explorar o pau-brasil, abundante na margem continental da lagoa.

A partir de 1540, por causa do rigoroso policiamento naval português nestes mares, os franceses exploraram o litoral e levantaram os recursos naturais de Cabo Frio. Em 1556, construíram uma fortaleza-feitoria para exploração de pau-brasil, na mesma ilhota utilizada anteriormente pelos portugueses, junto ao porto da barra de Araruama. A "Casa de Pedra" cabofriense ampliou e consolidou o domínio francês no litoral sudeste, iniciando com a fortaleza de Villegaignon no Rio de Janeiro, um ano antes.

Embora os portugueses não tivessem colonizado Cabo Frio após o massacre de 1575, estabeleceram um bloqueio naval mais ou menos eficiente com base na cidade do Rio de Janeiro.

Mas, entre 1576 e 1615, com a perda da independência de Portugal para a Espanha o porto de Araruama voltou a ser frequentado por navios franceses, ingleses e holandeses em busca de pau-brasil, tornando-se também a base da pirataria contra embarcações portuguesas que procuravam dobrar o cabo. Depois de 1580, com a submissão de Portugal, a Espanha redobrou a presença destes navios que carregavam as bandeiras inimigas dos castelhanos.

A Cidade de Cabo Frio inviabilizara-se porque a barra de navegação estava semientupida, a fortaleza sem guarnição e armamento, o monopólio real proibia a comercialização do pau-brasil e sal, a arrecadação dos dízimos era feita pelo Rio de Janeiro, não havia serviço religioso cristão, o capitão-mor concentrava os poderes militar, executivo, legislativo e judiciário e o núcleo da Passagem era invadido esporadicamente pelas águas das marés de lua.

Já no início do século XVIII, o Forte de São Mateus foi guarnecido e rearmado. A defesa da capitania passou a contar também com um terço de infantaria, além de um regimento de cavalaria. A cidade de Cabo Frio expandiu-se, sendo aumentada a Igreja de Nossa Senhora da Assunção, construída a capela de Nossa Senhora da Guia no Morro do Itajuru e a Igreja de São Benedito no Largo da Passagem. Na cidade, viviam cerca de 1.500 habitantes em 350 casas, enquanto que outros dez mil habitantes espalhavam-se pela capitania, sendo metade constituída por escravos negros.

A Câmara de Cabo Frio apoiou com entusiasmo a independência do Brasil em 1822, fazendo-se representar nos festejos em homenagem a Dom Pedro I, sendo depois recompensada: o Major Engenheiro Bellegard, enviado pelo governo imperial, construiu um farol na ilha do Cabo Frio, para evitar naugrágios como o da fragata "Thetis", e levantou também os pregões da futura ponte sobre o Canal do Itajuru, instalou o telégrafo e ainda, desobstruiu a barra nova e fechou a velha, preservando o antigo porto da barra.

Por conta própria, Bellegard e outros cidadãos levantaram o prédio da Charitas, destinado a abrigar e educar recém-nascidos de mães solteiras pobres, que eram deixados numa roda à porta, durante a noite onde eram recolhidos anonimamente. Por fim, Bellegard projetou e rasgou as primeiras ruas da cidade de Cabo Frio promovendo assim o primeiro plano de urbanização da cidade.


Turismo

Na década de 40, observa-se que o Canal do Itajuru fôra dragado e retificado para facilitar a navegação. Sua margem próxima a barra estava ocupada por instalações portuárias, entre postos pesqueiros, armazéns de sal, fábricas de cal e estaleiros. Os dois antigos núcleos urbanos haviam se juntado e novas ruas e quadras foram criadas como fatores para ocupação turística ao longo da, até então, abandonada Praia do Forte.

A melhoria das vias de acesso, as condições climáticas excepcionais, o patrimônio natural cultural extremamente atrativo e as transformações de ordem sócio-cultural estimularam o lazer semanal e o turismo das "praias de banho" em meados da década de 40. No começo, foi ponto de atração de ricos aventureiros da Cidade do Rio de Janeiro, de encontro social de poucos privilegiados, de praticantes de esportes náuticos e submarinos.

Depois, Cabo Frio passou a se constituir em local de atração turística para cariocas e mineiros, de instalações de residências secundárias, de clubes náuticos, de diversões noturnas, de hotéis, restaurantes, serviços comerciais e de abastecimento. A inauguração da Ponte Rio-Niterói, em 1973, deu lugar a fase atual de turismo de massa.


Praias

Cabo Frio possui algumas das praias mais bonitas do Brasil. A Praia do Forte, a mais conhecida da região dos lagos, é um polo de atração para o turismo, recebendo destaque por sua areia branca e águas cristalinas. Nesta praia também podemos contemplar também o Forte São Mateus, monumento histórico, situado no canto esquerdo da praia, que no período da colonização defendeu a costa da região de invasões estrangeiras e piratas. Além da Praia do Forte, Cabo Frio possui as praias: Brava, Peró, Japonês, Dunas, São Bento, Foguete, Siqueira, e Conchas.


Reservas Arqueológicas

Sambaqui do Forte

Localizado a aproximadamente 50 metros do Forte de São Mateus, ocupa uma duna de 50 metros de comprimento, areia mais escura, e uma densa vegetação que a protege da ação dos ventos constantes.


Dunas Brancas

Localizado na estrada que liga Cabo Frio a Arraial do Cabo, é cenário de excepcional luminosidade formado por altos montes de areia extremamente fina e muito branca, as dunas de Cabo Frio são raras no estado, e por isso muito visadas pelos usurpadores que aproveitam a região desértica, roubando as areias para a utilização no fabricação de vidros.


Boca da Barra

Barra do Canal do Itajuru, área litorânea de costão, onde encontra-se vegetação nativa e com visual de extrema beleza. A Boca da Barra é local de suma importância na história de Cabo Frio, pois foi alí que tudo começou, com o desembarque e estabelecimento dos 24 cristãos deixados por Américo Vespúcio em 1503.