Blumenau

Etimologia

Blumenau evoca o sobrenome do Hermann Bruno Otto Blumenau, um imigrante alemão que fundou a cidade na metade do século XIX. O termo Blumenau é um termo da língua alemã que significa campina florida.


Localização

Blumenau é um município do estado de Santa Catarina, Região Sul do Brasil. Localiza-se na microrregião homônima e na Mesorregião do Vale do Itajaí. É a cidade-sede da Região Metropolitana do Vale do Itajaí. É a terceira cidade mais populosa do estado, a 8ª da Região Sul do Brasil, a 78ª do Brasil e a única cidade média-grande de Santa Catarina, constituindo um de seus principais polos industriais, tecnológicos e universitários.

Foi fundada pelo químico e farmacêutico alemão Hermann Bruno Otto Blumenau, que chegou em um barco via rio Itajaí-Açu acompanhado de outros dezessete colonos compatriotas. Este desembarcou à foz do ribeirão Garcia em 2 de setembro de 1850 e dividiu a gleba em lotes para que os colonos pudessem edificar suas moradias, majoritariamente casas feitas com a técnica enxaimel. O intervalo ocupado entre as fozes dos ribeirões Velha e Garcia definiu o atual centro da cidade.

Possui uma agenda cultural focada nas festas baseadas no cotidiano e hábitos dos imigrantes europeus, destacando-se a colonização alemã, com a Oktoberfest, a segunda maior festa de cerveja do mundo, que, todos os anos em outubro, acontece durante 17 dias, e o stammtisch, tradicional reunião de associações na rua XV de Novembro. O núcleo italiano da população realiza a Festitália, além de ainda ocorrerem reuniões do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) e diversas outras manifestações das culturas europeia e brasileira.

Blumenau é o centro econômico do vale do Itajaí, sobressaindo-se as indústrias têxtil e informática — com empresas de porte nacional e internacional, como a Companhia Hering, 16º maior do estado catarinense, e a maior fabricante de etiquetas do mundo, Haco. Nota-se também a relevância regional do setor de serviços e comércio; nomeadamente saúde e educação, com a universidade de Blumenau e cinco hospitais. Blumenau conta com um dos maiores índices de desenvolvimento humano do Brasil e cobertura vegetal extensa devido à presença do Parque Nacional da Serra do Itajaí em seu território. Entretanto, apresenta problemas sociais em comum com o restante do Brasil, como a presença de 23.131 habitantes em favelas, o maior número de Santa Catarina em 2010.


História

Povos Indígenas

Até o século XVI, a região atualmente ocupada pelo município era habitada pelos índios carijós e xokleng. Estes foram escravizados em massa pelos colonos portugueses de São Vicente.


Colonização Europeia

A história de Blumenau é resultado da vinda de imigrantes alemães que se estabeleceram em terras de fertilidade da Mata Atlântica e construíram a colônia São Paulo de Blumenau. Foi fundada pelo químico farmacêutico Hermann Blumenau, de quem a cidade recebeu o nome. Tendo interesse pelos problemas enfrentados pelos imigrantes europeus, em 1845 se entendeu com a Sociedade de Proteção aos Emigrados Alemães para representá-la via procuração e rumou ao Brasil, objetivando instalar novas colônias e, ao mesmo tempo, fazer a verificação da situação das que já existiam. Deslocou-se pelo Rio Grande do Sul, e em seguida, em Santa Catarina, onde fez uma visitação à colônia alemã de São Pedro de Alcântara. Ciente de comentários a respeito do vale do Itajaí, explorou-o detalhadamente, associando ao seu compatriota Ferdinand Hackradt, já que a sociedade acima mencionada se dissolveu.


Percorreram o rio Itajaí-Açu a montante a bordo de canoas, conduzidos pelo brasileiro Ângelo Dias. Após três dias viajando, atingiram a desembocadura dos ribeirões Garcia e Velha em 1849. Foi a região cuja colonização foi decisiva para o povoamento inicial do município. Obteve do presidente da Província de Santa Catarina uma doação de duas léguas cúbicas, desde o ribeirão Garcia, edificando um engenho e demais barracos. Depois da tomada de certas precauções, rumou para a Alemanha, para buscar colonizadores. E em 2 de setembro de 1850, Hermann Blumenau retornou à zona elegida com os dezessete imigrantes iniciais. Neste momento já havia se dissolvido a sociedade feita entre H. Blumenau e Hackradt. Assim, Blumenau começou a ser povoada. A maioria dos imigrantes originais é proveniente de pequenas aldeias alemãs, como Pahnstangen, na Turíngia. Dentre os imigrantes chegaram notórios, como o biólogo, que colaborou com as ideias de Charles Darwin, o doutor Johann Müller. Porém, os obstáculos foram grandes e Hermann Blumenau solicitou a ajuda do governo imperial. Pedro II do Brasil adquiriu a colônia por pagamento em contos de réis e indicou Blumenau como diretor da mesma, em 1860.


Geografia

O município de Blumenau está localizado no nordeste de Santa Catarina, no chamado Médio Vale do Itajaí, região pertencente ao Vale do Itajaí. Possui uma área de 519,8 quilômetros quadrados, sendo 206,8 km² (39,8%) de área urbana e 313,0 km² (60,2%) de área rural, e apresenta as coordenadas geográficas 26° 55' 08" Latitude Sul e 49° 03' 57" Longitude Oeste. Os municípios limítrofes de Blumenau são Jaraguá do Sul ao norte, Massaranduba a nordeste, Pomerode ao oeste, Indaial a sudoeste, Luiz Alves e Gaspar ao leste, e Botuverá e Guabiruba ao sul. Está a 130 km da capital Florianópolis, por via asfáltica, e 90,4 km em linha reta. A cidade é banhada pelo rio Itajaí-Açu e propensa a enchentes, constantes na história do município, inclusive tendo protagonizado algumas de repercussão nacional, como as enchentes de 1983-1984, 2008 e 2011.

Um dos pontos culminantes mais conhecidos da cidade é o morro Spitzkopf, porém a proeminência mais alta é o morro Loewsky com 980 metros - ambos situados na zona sul e no interior do Parque Nacional da Serra do Itajaí. A altitude média é de 21 metros acima do nível do mar.


Clima

O município de Blumenau pertence à zona climática designada pela letra C, com o tipo climático Cfa, segundo a classificação do clima de Köppen. Tal tipo climático se caracteriza por ser um clima subtropical úmido. A pluviosidade média é de 1 540 mm/ano, sendo fevereiro o mês mais chuvoso e julho o mais seco. A média do mês mais quente é de 26 °C e a média do mês mais frio de 16 °C, estando a temperatura média anual em torno de 20 °C.

Blumenau apresenta verões quentes, com temperaturas podendo alcançar os 40 °C, e invernos entre amenos a frios. Já houve vários casos de temperaturas negativas, com geada e neve, tal qual em 1984 num dos pontos mais altos do município, o morro do Cachorro. Bem como recentemente em 22 e 23 de julho de 2013 com média intensidade de neve em determinadas áreas da cidade. Estiagens também atingem a cidade, prejudicando sua economia e a população.


Turismo

O destaque turístico da cidade é sua Oktoberfest; cabe menção à Festitália, ao stammtisch e ao Festival Nacional de Danças Folclóricas. A Oktoberfest, cujo significado é "festa de outubro", foi criada em 1984 para elevar o ânimo da população que havia acabado de suportar duas das maiores enchentes na história de Blumenau (1983—84). Inspirada na homônima Oktoberfest de Munique, a versão de Blumenau é a maior festa de cultura alemã do Brasil e na edição de 2017 gerou 4,25 milhões de reais em lucro.

O turismo ecológico perpassa museus como o Museu de Ecologia Fritz Müller, que funciona na antiga casa do cientista, e o Museu da Água, onde pode-se ver todo o processo de despoluição da água captada do rio Itajaí-Açu. Há também parques ecológicos como o Parque Natural Municipal São Francisco de Assis, vizinho ao centro da cidade, e o Parque Nacional da Serra do Itajaí, com trilhas que percorrem áreas remanescentes de Mata Atlântica — além do último abranger um dos pontos culminantes de Blumenau, o morro Spitzkopf.


Entre os principais locais de lazer está a rua XV de Novembro, onde acontecem os desfiles da Oktoberfest e o stammtisch, além das paradas cívicas na data de aniversário do município (2 de setembro), e, alguns dias depois, no Dia da Independência.


Cultura

A cultura da cidade é fortemente influenciada pela Alemanha, consequência da colonização por estes imigrantes europeus. Demonstrações podem ser vistas na arquitetura, nas sociedades de canto, nas festas e nos grupos de danças. O povo germânico trouxe a técnica construtiva enxaimel, que pode ser observada em edificações na zona rural do município - o distrito de Vila Itoupava contém dezenas de residências erigidas sob este método. A partir de metade do século XX, a prefeitura quis estimular a aplicação de falso enxaimel (o entrelaçamento original de toras de madeira, visíveis na face externa da parede, é substituído por moldes de gesso, por exemplo) no centro da cidade numa tentativa de atrair turistas. Daí derivam exemplos como as agências bancárias na rua XV de Novembro, a sede da prefeitura construída em 1982, e as lojas do Parque Vila Germânica.