Destaque Da Semana

Booking: Otimismo, Flexibilidade E Novas Conexões Para As Viagens Em 2022

SAS, Vattenfall, Shell E LanzaTech Firmam Parceria Na Produção De SAF Sintético

A companhia aérea SAS, a Vattenfall, Shell e LanzaTech vão investigar juntos a produção do primeiro combustível sintético sustentável (SAF) do mundo usando a tecnologia LanzaJet TM “Alcohol to Jet” em grande escala na Suécia. Em vez de usar material fóssil virgem no processo de produção, o SAF sintético será produzido a partir de eletricidade livre de fósseis e dióxido de carbono reciclado do aquecimento urbano.

O objetivo é que uma nova unidade de produção produza até 50.000 toneladas de SAF sintético por ano, desde que uma decisão de investimento seja tomada em uma fase posterior. O SAF sintético, também conhecido como eletrocombustível, será produzido a partir de eletricidade livre de fósseis e dióxido de carbono recuperado usando a tecnologia LanzaJet “Alcohol to Jet”, desenvolvida pela LanzaTech e pelo Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico (PNNL) do Departamento de Energia dos EUA. Quando a produção total estiver instalada e funcionando, ela poderá fornecer à SAS até 25% de sua demanda global por combustível de aviação sustentável na década de 2030.

Um estudo conjunto mostrou condições promissoras para o projeto, e todas as empresas parceiras agora concordam em realizar análises aprofundadas. A ambição é comissionar a nova unidade de produção entre 2026 e 2027 perto de Forsmark, na costa leste da Suécia.

"SAS e sustentabilidade andam de mãos dadas. É por isso que estamos incrivelmente orgulhosos de fazer parte deste projeto único, onde metas e agendas de sustentabilidade ambiciosas se unem. Nosso compromisso conjunto em encontrar maneiras de permitir a produção em larga escala de um combustível de aviação mais sustentável é uma oportunidade fantástica para acelerar a comercialização de SAF e, portanto, a transição da SAS em direção aos voos de emissão zero líderes do setor”, disse Anko van der Werff, Presidente e Diretor Executivo da SAS.

"Esta iniciativa mostra o potencial de parcerias entre setores para impulsionar a descarbonização de um setor difícil de abater. Para inovar mais rapidamente a fim de criar uma ponte para uma vida livre de fósseis em uma geração. Esta é uma oportunidade realmente boa e juntos vamos explorar além disso, como produzir eletrocombustível de baixa emissão para a aviação”, disse Anna Borg, Presidente e CEO da Vattenfall.

"O combustível de aviação sustentável oferece o maior potencial para reduzir as emissões da aviação. Somente trabalhando juntos hoje em todo o ecossistema da aviação para impulsionar as tecnologias e infraestrutura necessárias para produzir SAF em escala é que o setor de aviação pode atingir o zero líquido até 2050. Por isto que estou animada com esta colaboração para explorar mais um caminho para a produção de SAF ”, disse Anna Mascolo, Presidente da Shell Aviation.

“O setor de aviação enfrenta desafios incríveis para obter os volumes de SAF necessários para voos sustentáveis. Este projeto é o início da entrega desses volumes e, ao reutilizar dióxido de carbono e energia livre de fósseis, temos uma oportunidade em escala sem precedentes. Precisamos repensar o carbono e, junto com a energia livre de fósseis, aproveitá-lo para criar um novo futuro seguro para o clima para todos”, disse Jennifer Holmgren, CEO da LanzaTech.

O objetivo do projeto é iniciar a produção de eletrocombustível na Suécia. As empresas assinaram um Memorando de Entendimento e concordaram que a Vattenfall investigará o fornecimento de eletricidade livre de fósseis, a produção de hidrogênio e a recuperação de dióxido de carbono. A Shell investigará a produção de combustível, logística e será a compradora de eletrocombustível. A LanzaTech fornecerá sua experiência em fermentação de gás para fazer etanol a partir dos fluxos de gás de entrada e as partes irão licenciar a tecnologia LanzaJet “Alcohol to Jet” para converter o etanol em eletrocombustível. A SAS participará como potencial compradora do eletrocombustível.