Destaque Da Semana

ABAV Expo Volta Ao Formato Presencial No Mês De Outubro Em Fortaleza

Air France-KLM Realiza 1° Voo Longo Com SAF Produzido Na França

Companhia aérea une forças com Total, Grupo ADP e Airbus para diminuir a emissão de carbono no transporte aéreo

São Paulo - Air France-KLM, Total, Grupo ADP e Airbus uniram forças para realizar o primeiro voo de longo curso movido a Combustível Sustentável de Aviação (SAF) 1 produzido na França. Às 10h40 de ontem (horário de Brasília), o voo AF342 da Air France decolou do Terminal 2E do aeroporto Paris-Charles de Gaulle para Montreal pela primeira vez com seus tanques cheios com combustível sustentável de aviação produzido nas fábricas francesas da Total.

(Divulgação)

Este voo é um resultado tangível da ambição compartilhada dos quatro grupos de descarbonizar o transporte aéreo e desenvolver uma cadeia de suprimentos de SAF na França, pré-requisito para a generalização de seu uso nos aeroportos franceses.

Nenhuma modificação na infraestrutura de armazenamento e distribuição, aeronaves ou motores é necessária para incorporar biocombustíveis. Sua introdução gradual em todo o mundo deve reduzir significativamente as emissões de CO2 do transporte aéreo, em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

O biocombustível utilizado para este voo foi feito a partir de lixo e resíduos provenientes da economia circular. A Total produziu o SAF a partir de óleo de cozinha usado em sua biorrefinaria La Mède, no sul da França, e em sua fábrica de Oudalle, perto de Le Havre, sem usar nenhum óleo vegetal virgem.

Este primeiro SAF 100% francês recebeu a certificação ISCC-EU do International Sustainability & Carbon Certification System, uma organização independente que garante a sustentabilidade da ação. A mistura de 16% neste voo evitou a emissão de 20 toneladas de CO2.

Ao desenvolver e apoiar a primeira produção industrial SAF da França, a Air France-KLM, Total, Grupo ADP e Airbus estão abrindo caminho para a França impulsionar a inovação na transição energética e ambiental. A legislação francesa exige que as aeronaves usem pelo menos 1% de SAF até 2022 para todos os voos com origem na França, à frente da ambição europeia programada para aumentar gradualmente até 2% até 2025 e 5% até 2030, como parte do "Acordo Verde Europeu".

Para atender a esses requisitos, a Total também produzirá SAF em sua plataforma Grandpuits, perto de Paris, a partir de 2024.

O voo de ontem ilustra ainda a sinergia dos diferentes incentivos para reduzir a pegada ambiental da aviação, ou seja, combustível de aviação sustentável, aeronaves de última geração e eletrificação das operações terrestres. O Airbus A350 usado para o voo consome 25% menos combustível do que seu antecessor. Além disso, a aeronave foi atendida pelo primeiro caminhão de reabastecimento totalmente elétrico, desenvolvido na França com experiência da Total, e todos os equipamentos de apoio em solo usados pela Air France eram totalmente elétricos.

A Air France-KLM é pioneira em testar combustíveis sustentáveis para aviação. A KLM fez seu primeiro voo com motor SAF em 2009. Desde então, o Grupo multiplicou o número de programas inovadores. Entre 2014 e 2016, por exemplo, realizou 78 voos da Air France movidos por uma combinação SAF 10% em colaboração com uma afiliada da Total. Esses testes mostraram que o uso de SAF não teve impacto na confiabilidade das operações das companhias aéreas. A Air France-KLM pretende fortalecer sua liderança em SAF nos próximos anos, ao mesmo tempo em que contribui para a pesquisa de futuras gerações de aeronaves.

Além desse voo, a Airbus está realizando uma série de testes para certificar que os aviões voem com 100% SAF nas próximas décadas. A Airbus também instalou postos de abastecimento SAF em suas instalações industriais para que possam ser usados em operações de produção, bem como para entregas de aeronaves. Essas instalações contribuem para a ambição da Airbus de descarbonizar todas as suas operações industriais.

Para este primeiro voo, Benjamin Smith, CEO da Air France-KLM, afirmou: "Por muitos anos, o Grupo Air France-KLM se comprometeu a reduzir sua pegada ambiental. Junto com a renovação de nossa frota, os combustíveis sustentáveis de aviação constituem nossa principal alavanca a médio prazo para reduzir pela metade as nossas emissões de CO2 por passageiro/km até 2030. Estas duas ações são, portanto, centrais para a nossa estratégia, juntamente com a eco pilotagem e a obtenção de operações terrestres neutras em carbono. A França tem atualmente a oportunidade de se posicionar líder na produção e uso de combustíveis sustentáveis e estamos fazendo todo o possível para contribuir com nossos parceiros. Apoiar o surgimento de um setor de biocombustíveis para aviação na França economicamente viável para todas as partes envolvidas é uma prioridade estratégica para o país e o grupo."

Patrick Pouyanné, Presidente e CEO da Total, declarou: "O desenvolvimento de biocombustíveis faz parte da estratégia de energia ampla da Total para descarbonizar a indústria de transporte. Depois de lançar com sucesso a produção de combustíveis sustentáveis para aviação em nossas instalações na França em março passado, continuamos a adaptar nossas instalações industriais para nos preparar para a crescente demanda da indústria de aviação na próxima década. Ao reduzir diretamente a intensidade de carbono dos produtos de energia usados por nossos clientes da indústria da aviação, estamos trabalhando ativamente com eles para alcançar nossa ambição de chegar a zero líquido até 2050, em conjunto com a sociedade."

Augustin de Romanet, Presidente e CEO do Grupo ADP, destacou: "Este primeiro voo do aeroporto Paris-Charles de Gaulle é um símbolo da nossa ambição de descarbonizar o transporte aéreo integrando novos combustíveis sustentáveis nas aeronaves. O roteiro do transporte aéreo europeu visa emissões líquidas zero até 2050, e fazemos questão, como operadora de aeroporto, de apoiar essa transição energética e de embarcar, sem demora, no caminho de transformação de nosso processo de operação e infraestrutura."

E Guillaume Faury, CEO da Airbus, acrescentou: "Os combustíveis sustentáveis são uma grande alavanca para alcançar nossos objetivos de descarbonização do setor de aviação, e a Airbus apoia todas as iniciativas que contribuem para seu desenvolvimento e uso em voos comerciais. É necessária uma ação coordenada de todas as partes interessadas para aumentar a participação desses combustíveis sustentáveis, que podem ser usados hoje em até 50% de nossas aeronaves, sem qualquer modificação ou impacto operacional, reduzindo assim sua pegada ambiental."