Destaque Da Semana

Três Países Do Golfo Fecham Fronteiras Por Mutação Do Coronavírus

Arábia Saudita, Omã e Kuwait anunciaram o fechamento temporário das suas fronteiras aéreas e terrestres para impedir que a nova cepa do coronavírus chegue a seus territórios. Entrada de mercadorias segue

São Paulo - Pelo menos três países árabes do Golfo anunciaram o fechamento das suas fronteiras por causa da nova cepa do coronavírus, que já infectou mais de mil pessoas no Reino Unido. Informações sobre a suspensão de voos nestes países foram publicadas no site do jornal saudita Arab News.

Aeroporto no Kuwait. (© ANBA)

O governo do Kuwait informou que suspenderá todos os voos comerciais e fechará as fronteiras terrestres do país até 1º de janeiro. O país adicionou o Reino Unido à sua lista de regiões de alto risco para entrada em seu território e os voos do Reino Unido estão proibidos no Kuwait.

Omã anunciou que fechará as fronteiras terrestres, aéreas e marítimas na seamana passada também por uma semana para evitar que a mutação do vírus entre no país. Omã informou que a chegada de cargas por aviões, navios e caminhões serão mantidas e situação epidemiológica da nova cepa seguirá sendo monitorada.

A Arábia Saudita suspendeu, também, na semana passada, já todos os voos internacionais de passageiros por uma semana. A entrada por meio de portos terrestres e marítimos também foi suspensa e este período poderá ser estendido por mais uma semana. Alguns voos serão permitidos em circunstâncias excepcionais, informou a Saudi Press Agency (SPA).

Qualquer pessoa que tenha chegado na Arábia Saudita após 8 de dezembro vinda de países europeus ou outro país de alto risco deverá ficar em quarentena por duas semanas após o desembarque. O viajante deverá passar por um teste de covid-19, repetido a cada cinco dias. Quem transitou nestas regiões nos últimos três meses também deve fazer o teste. O trânsito de mercadorias e commodities seguirá normalmente.

Segundo indicam as primeiras pesquisas, a mutação da covid-19 é 70% mais contagiosa e foi identificada já em outras regiões da Europa, além do Reino Unido, e em países como Austrália e África do Sul. As notícias sobre o assunto surgiram quando o mundo todo começava a ter esperança do mais sucesso no combate ao vírus após o registro e o início da vacinação em vários países do mundo.

Créditos & Imagem: ANBA