Qatar Airways Move Ações Na Corte Inglesa Contra Canal De Notícias Árabe

O caso apresentando a animação de uma aeronave da Qatar Airways sendo danificada será agora ouvido no Reino Unido, depois que um pedido para contestar a jurisdição do Supremo Tribunal Inglês para ouvir as reivindicações foi indeferido

DOHA, Qatar - A Qatar Airways moveu ações no Supremo Tribunal Inglês contra o canal de notícias Al Arabiya em relação a uma simulação de vídeo publicada, em agosto de 2017, que pretendia explicar o efeito do bloqueio ilegal ao Qatar e à Qatar Airways.

(© Google Imagens)

Em um julgamento de 130 páginas do Supremo Tribunal Inglês publicado na sexta-feira, 6 de novembro de 2020, o tribunal rejeitou o pedido da Al Arabiya para contestar a jurisdição do tribunal inglês para ouvir as reivindicações. A sentença foi acompanhada de extensas provas e de uma audiência de três dias.

O CEO do Grupo Qatar Airways, Sua Excelência o Sr. Akbar Al Baker, disse: “A Qatar Airways está determinada a proteger seus negócios de ataques espúrios e politicamente motivados como este, e temos confiança de que o Supremo Tribunal Inglês fará justiça nesta disputa. Este julgamento é bem-vindo, e é um passo importante para a Qatar Airways em sua busca por justiça."

"O vídeo da Al Arabiya incluía uma animação que mostrava uma aeronave da Qatar Airways sendo interceptada e potencialmente abatida por um caça a jato no contexto do bloqueio ilegal. O vídeo foi amplamente visto no Reino Unido e em todo o mundo, e causou uma tempestade, na mídia, de indignação na época, com o Daily Mail do Reino Unido comentando que constituía "um aviso assustador de que [a Arábia Saudita] poderia explodir um avião de passageiros do Catar do céu" e que o jornal Independent do Reino Unido descreveu como "além de provocativo"."

A Qatar Airways afirma que o vídeo era falso e enganoso, e que sua intenção era dissuadir os passageiros de voar com a Qatar Airways, fazendo parte de uma série de publicações anti-Qatar politicamente motivadas pelo canal de notícias. Apesar dos argumentos da Al Arabiya, o juiz concluiu que a Qatar Airways havia demonstrado que tem perspectivas reais de mostrar no julgamento que o vídeo era falso e/ou transmitia uma falsa impressão, e que foi publicado de forma maliciosa, com o objetivo de prejudicar a Qatar Airways.

Os argumentos da Al Arabiya de que os tribunais de Dubai seriam um fórum mais apropriado para as reivindicações foram rejeitados de forma decisiva pelo juiz, observando o impacto do bloqueio ilegal e o "ambiente hostil para os catarianos nos EUA".

Comentários