MSC Cruzeiros Remarca Início Da Próxima Temporada Na América do Sul

Cinco deslumbrantes navios farão parte da temporada 2021/2022 e as vendas já estão abertas a partir de hoje

A MSC Cruzeiros está trabalhando junto as autoridades da América do Sul para a retomada de suas operações no continente na temporada 2020/2021. Discussões estão em andamento entre a armadora e as autoridades responsáveis e competentes no Brasil, Argentina e Uruguai, com base na implementação do protocolo abrangente de saúde e segurança da MSC Cruzeiros, projetado para proteger os hóspedes, a tripulação e as comunidades locais que os navios visitam.

MSC Seaview visitará praias do Sul e do Sudeste do Brasil. (© Google Imagens)

Este é o mesmo protocolo que, após a aprovação das autoridades de saúde, segurança e transportes na Itália, Grécia e Malta, apoiou o reinício das operações da MSC Cruzeiros no Mediterrâneo desde meados de agosto. Na América do Sul, após as aprovações relevantes, a MSC Cruzeiros planeja operar três navios com embarques no Brasil durante a temporada 2020/2021.

Enquanto a MSC Cruzeiros aguarda essas aprovações, o início da temporada da América do Sul foi agora alterado para 19 de dezembro, em vez da data original de 15 de novembro. Isso foi preciso devido a necessidade de um prazo mínimo, a partir do dia da aprovação final das autoridades, para organizar toda operação como, por exemplo, logística, mobilização e embarque de tripulantes e suprimento de provisões, além da implantação detalhada de seu robusto protocolo de saúde, e segurança.

O programa da temporada 2020/2021 da MSC Cruzeiros oferece uma grande variedade de cruzeiros de seis, sete e oito noites para o Nordeste, Argentina e Uruguai, além dos cruzeiros especiais de Natal e Ano Novo. Adicionalmente, quatro novos minicruzeiros estão programados para fevereiro de 2021 visitando as belas praias do Sul e Sudeste a bordo do MSC Seaview.

Adrian Ursilli, Diretor Geral da MSC Cruzeiros no Brasil, comentou “Já apresentamos o nosso projeto completo de retomada para as autoridades responsáveis do Brasil, Argentina e Uruguai e estamos prontos para iniciar os procedimentos operacionais e logísticos necessários para o reinício dos cruzeiros na região. Planejamos reiniciar de forma gradual e segura, tendo como base o nosso abrangente protocolo de saúde e segurança, que provou o seu valor na Europa, onde reiniciamos as operações em meados de agosto com o suporte deste mesmo protocolo. As medidas de saúde e segurança que implementamos como parte do nosso protocolo vão além das diretrizes estabelecidas pelas autoridades locais, em particular a testagem universal de todos os passageiros e tripulantes antes do embarque e apenas visitas em terra protegidas como parte de uma “bolha social do navio”. Essas medidas também vão além de tudo o que está sendo oferecido em todo o setor de viagens e hospitalidade para a proteção de seus hóspedes e funcionários, oferecendo assim a opção de férias mais segura possível.”

Um retorno gradual e seguro ao mar já foi implementado pela MSC Cruzeiros na Europa, após a aprovação das autoridades locais relevantes. Onze cruzeiros a bordo do MSC Grandiosa já foram realizados no Mediterrâneo e um segundo navio, o MSC Magnifica, também está navegando pela região desde o dia 19 de outubro.

A MSC Cruzeiros trabalhou para abranger todos os aspectos da jornada do hóspede, desde o momento da reserva até o embarque, a vida a bordo e até o retorno de volta para casa, preservando a singularidade da sua experiência.

Segundo o último levantamento realizado pela CLIA Brasil em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre temporada 2019/2020 no Brasil, o setor de cruzeiros foi responsável por um impacto econômico de R$ 2,241 bilhões, além da geração de cerca de 34 mil postos de trabalho diretos e indiretos e movimentação superior a R$ 296 milhões em tributos, sendo a MSC Cruzeiros responsável por mais de 60% desse volume. 

Adrian Ursilli ressaltou, “O retorno das atividades de cruzeiros, após a aprovação do rigoroso protocolo da MSC Cruzeiros que se provou bem-sucedido na Europa, pode contribuir com a retomada segura e responsável do turismo, gerando impactos econômicos positivos para as cidades onde navios visitam, bem como para todo o setor do turismo no país.”

Comentários