Destaque Da Semana

Covid-19: Etihad Opera Voo De Repatriamento De Cidadões Cubanos

A Etihad Airways operou seu primeiro voo para Havana, Cuba. O voo de boa vontade, fretado pelo governo dos Emirados Árabes Unidos, aterrissou na capital do país insular do Caribe, levando cidadãos cubanos que voltam para casa dos Emirados Árabes Unidos. Havana é a mais recente adição a uma lista crescente de vôos charter especiais para destinos que normalmente não são servidos na rede global de rotas da companhia aérea.


Após a suspensão de todos os vôos normais de passageiros de e para os Emirados Árabes Unidos em 24 de março, a Etihad operou serviços humanitários especiais para 32 cidades em todo o mundo, que atualmente não são atendidas pela rede de vôos ou de passageiros da companhia aérea. Estes incluem Bogotá, Bucareste, Grozny, Kiev, Larnaca, Podgorica, Tirana, Yerevan, Zagreb, Auckland, Bhubaneswar, Bishkek, Dushanbe, Dhaka, Erbil, Cabul, Lucknow, Makhachkala, Adis Abeba, Antananarivo, Bamako, Banjul, Conacri, Banjul. Harare, Kinshasa, Moroni, N'Djamena, Niamey e Nouakchott. A companhia aérea operou recentemente um voo humanitário especial, transportando cargas médicas e humanitárias com destino aos Territórios Palestinos.

Além disso, a Etihad operou vôos especiais de passageiros e de carga, incluindo fretamentos, para mais 62 destinos, e continua a expandir esse número, enquanto se prepara para retomar uma rede mais normalizada de vôos regulares para, de e através de seu hub de Abu Dhabi.

Ahmed Al Qubaisi, vice-presidente sênior de governo e comunicações internacionais do Etihad Aviation Group, disse: “Todos nós da Etihad sentimos um sentimento coletivo de orgulho e humildade, sabendo que fomos capazes de mobilizar totalmente nossos recursos ao mesmo tempo de grande dificuldade e sofrimento, para fornecer linhas aéreas essenciais para quem precisa. Conseguimos nos mover com agilidade e voar para territórios nunca servidos por nós antes do atual bloqueio global, para que possamos ajudar no repatriamento de pessoas."

“Nossos serviços são uma extensão natural das iniciativas de boa vontade do governo dos Emirados Árabes Unidos, e de outros governos e ONGs. Como uma companhia aérea internacional composta por uma família próxima de colegas de mais de 150 países, refletimos a comunidade global em geral e não subestimamos a importância de operar esses vôos nessa situação atual. Continuaremos a trabalhar com nossos parceiros em todo o mundo para desempenhar nosso papel, à medida que as coisas gradualmente retornam ao normal.”