Avis Budget Group Demite Ou Concede 70% De Sua Força De Trabalho

O Avis Budget Group registrou receita de US$ 1,75 bilhão no primeiro trimestre de 2020, divulgou a empresa em uma apresentação para investidores no domingo (03). Isso foi US$ 179 milhões menor que o primeiro trimestre de 2019, impulsionado por 75 dias a menos de aluguel e 1% a menos de receita por dia. A receita das Américas diminuiu 5%. A receita internacional caiu 16% devido ao impacto de menores dias de locação. A perda de EBITDA ajustado foi de US$ 90 milhões, US$ 89 milhões abaixo do primeiro trimestre de 2019.


A receita de abril está caindo 80% em relação ao ano anterior, informou a empresa. Tendências semelhantes são esperadas para maio, mas a empresa "espera uma recuperação gradual posteriormente". A Avis estima que o tamanho da frota no final de junho seja 20% menor que no ano anterior.

"A pandemia afetou severamente a demanda de viagens aéreas, e aeroportos", disseram executivos da Avis na apresentação trimestral do Investidor. "Prevê-se que continue em maio e começará a se recuperar em junho e a melhorar o saldo do ano".

"A expansão para o mercado fora do aeroporto atenuou a queda de receita", concluiram. "À medida que as restrições de abrigo no local são levantadas, acreditamos que a demanda por viagens de lazer pode preferir o transporte privado ao transporte de massa." A empresa demitiu ou concedeu aproximadamente 70% de sua força de trabalho, ou 21.000 funcionários.

Apesar das receitas acumuladas no ano de fevereiro aumentarem 9%, a partir de março, a Avis afirmou que descartava agressivamente veículos por meio de canais tradicionais e vendas diretas a revendedores, e consumidores. A Avis estima que o tamanho da frota no final de junho seja 20% menor que no ano anterior.

A empresa projeta uma queima operacional de caixa nos meses de abril, maio e junho de US$ 400 milhões, US$ 250 milhões e US$ 150 milhões, respectivamente, com melhoria sequencial devido a ações agressivas de redução de frota. A empresa diz que sua previsão operacional é positiva para o fluxo de caixa em julho, e além.

"Quanto mais cedo correspondermos o tamanho da frota à demanda, mais rapidamente tornamos o fluxo de caixa positivo."

A empresa continua "esperançosa pelo retorno de Cash-for-Clunkers, com sede nos EUA, ou programas internacionais similares".

À medida que as restrições de abrigo são levantadas, a Avis acredita que a demanda de viagens de lazer “pode preferir transporte privado ao transporte de massa” e a empresa tem uma "oportunidade única de fornecer uma alternativa potencialmente mais segura aos modos tradicionais de transporte e mobilidade."