Destaque Da Semana

Norwegian Anuncia Falência De Quatro Subsidiárias Na Suécia E Dinamarca

Quatro empresas subsidiárias do Norwegian Group localizadas na Suécia, e na Dinamarca, onde estão empregados pilotos e tripulantes de cabine da companhia aérea na Escandinávia, declararam falência nesta segunda-feira, devido aos efeitos da pandemia de Covid-19.


“Infelizmente, apesar das medidas que a empresa já tomou para reduzir custos, a Administração destas empresas não tem outra opção a não ser pedir a falência”, anunciou a Norwegian num comunicado.

A empresa diz que na Noruega existem soluções em que o governo paga todas despesas relacionadas com salários durante o período de licença, mas que esse tipo de cobertura que não existe na Suécia e na Dinamarca. Assim, continua a Norwegian, com “a falta de apoio financeiro significativo dos governos sueco e dinamarquês, não temos escolha”.

A Norwegian também anunciou que “devido à situação extraordinária (força maior)” informou a OSM Aviation de que “cancelou os contratos de fornecimento de tripulação com várias das subsidiárias que detém em conjunto com a OSM Aviation. Essas empresas possuem equipes com sede na Espanha, Reino Unido, Finlândia, Suécia e EUA”.

Estas medidas vão afetar 1.571 pilotos e 3.134 tripulantes de cabine, diz a Norwegian, indicando que não serão afetados cerca de 700 pilotos e 1.300 tripulantes de cabine baseados na Noruega, França e Itália.

O processo das subsidiárias que declararam falência (Norwegian Pilot Services Sweden AB, Norwegian Pilot Services Denmark ApS, Norwegian Cabin Services Denmark ApS e Norwegian Air Resources Denmark LH ApS) está sendo gerido por tribunais de falências e administradores de falências nos respectivos países.

“O impacto que o coronavírus teve no setor da aviação não tem precedentes. Fizemos tudo o que podemos para evitar tomar esta decisão de último recurso e pedimos acesso a apoio tanto do governo da Suécia como da Dinamarca”, afirmou o CEO da Norwegian, Jacob Schram.

“Os nossos pilotos e tripulantes de cabine são o núcleo do nosso negócio e fazem um trabalho fantástico há muitos anos. É de partir o coração que agora as nossas subsidiárias suecas e dinamarquesas de pilotos e tripulantes de cabina sejam forçadas a pedir falência, e sinto muito pelas consequências que isso terá para os nossos colegas”, salientou Jacob Schram.

Fonte: PressTur