Expansão Do Heathrow É Travada Por Impacto Ambiental

Os planos de expansão do Aeroporto de Heathrow, em Londres, com a construção de uma terceira pista, foram travados por um tribunal de recurso britânico, que confirmou que as metas do Acordo de Paris têm um efeito vinculativo.


Chris Grayling, o ex-ministro dos Transportes responsável pela elaboração do projecto, considerava não relevante o Acordo de Paris, de 2015, cingindo-se ao cumprimento da Lei das Alterações Climáticas, de 2008. O tribunal não concordou, vinculando a primeira decisão judicial a basear-se no Acordo de Paris.

O juiz Keith Lindblom assevera que “o Acordo de Paris deveria ter sido levado em consideração”, avançando que “a Declaração de Polícia Nacional não foi produzida conforme a lei exige”. Foi esta Declaração que deu o aval para a construção de uma terceira pista naquele que é um dos mais movimentados aeroportos do mundo, com o apoio da maioria dos deputados, em 2018.

O tribunal de recurso britânico considerou ilegal a construção de uma nova pista por não terem sido devidamente considerados os compromissos do Governo local para com o cumprimento das metas estabelecidas no Acordo de Paris. A decisão surge, ainda, num momento em que o Governo britânico se comprometeu a atingir as emissões líquidas zero, em 2050.

O projeto de expansão do maior aeroporto a operar na área de Londres envolveria um investimento de 15 bilhões de libras, e teria conclusão prevista para 2028. Traria mais 700 aviões por dia e 85,5 milhões de passageiros anuais aquele aeroporto, ao mesmo tempo que causaria também um grande aumento nas emissões de carbono.

Fonte: Turisver