Destaque Da Semana

Iberia Reduz Estrutura Para Enfrentar Crise De Covid-19

Hub De Miami Da American Airlines Atinge Números Recordes De Passageiros Em 2019

A companhia aérea em Miami ultrapassou 30 milhões de passageiros e alcançou resultados operacionais recordes

Em 2019, a American Airlines estabeleceu novos recordes em seu hub no Aeroporto Internacional de Miami (MIA). No ano passado, a companhia aérea transportou um recorde de 30,3 milhões de passageiros através do MIA, marcando um aumento de 1,7% em relação ao ano anterior.


"Pela primeira vez desde a criação do hub de Miami, há 30 anos, transportamos mais de 30 milhões de passageiros", disse Juan Carlos Liscano, vice-presidente de operações do hub de Miami. “Também tivemos um desempenho operacional recorde na MIA com nossos melhores números de manuseio de bagagem e nosso segundo melhor desempenho pontual em nossa história, todas as métricas impressionantes que destacam nosso foco na excelência operacional."

“Nossos mais de 13.000 membros da equipe do MIA já estão trabalhando duro para estabelecer novos recordes, apenas no início deste mês, alcançando nosso melhor desempenho de férias em nossa história. Estamos ansiosos por mais um ano recorde em 2020.”

A companhia aérea opera mais de 340 vôos diários da MIA para quase 130 destinos, incluindo serviços para mais de 80 cidades na América Latina, e no Caribe.

O centro da American Airlines no MIA, o maior portal internacional da companhia aérea, continua fortalecendo sua presença na América Latina, e no Caribe, desde que foi estabelecido há 30 anos, e continuará seu crescimento em 2020. Prevista para começar este ano, existem frequências adicionais para Lima, Peru (LIM); Santiago, Chile (SCL) e São Paulo, Brasil (GRU).

A companhia aérea é um motor econômico de importância crítica para Miami, e o sul da Flórida. A American Airlines é o terceiro maior empregador privado no Condado de Miami-Dade, com uma folha de pagamento anual de US$ 1,8 bilhão, contribuindo com mais de US$ 21,8 bilhões anualmente para a economia do sul da Flórida.

Créditos: AA Newsroom