Turistas Dos EUA São Os Que Mais Aumentam Gastos Em Portugal Este Ano

Os turistas residentes nos Estados Unidos estão liderando este ano o aumento de receitas turísticas portuguesas, que representam os gastos em Portugal de turistas residentes no estrangeiro, com um aumento até ao fim de Outubro em 30,5% ou 267,05 milhões de euros

Dados do Banco de Portugal consultados pelo PressTUR permitiram ver que em segundo lugar em aumento de gastos em Portugal vêm os turistas residentes no Reino Unido, com 212,99 milhões, e em terceiro os residentes em Espanha, com aumento de 179,87 milhões. Depois vêm os residentes em França, com aumento de 62,25 milhões, e em 5º os residentes no Brasil, com aumento de 62,05 milhões.


Também com aumentos de gastos em Portugal entre os dez emissores com dados disponibilizados pelo banco central estão os residentes na Alemanha, com aumento de 28,32 milhões, os residentes em Luxemburgo, com aumento de 16,33 milhões, os residentes na Bélgica, com aumento de 5,07 milhões.

A lista completa-se com Angola e Países Baixos, ambos com quedas de gastos dos seus residentes em Portugal, respectivamente em 20,06 milhões, e em 29,01 milhões.

A informação do Banco de Portugal indica os gastos de turistas estrangeiros em Portugal nos primeiros dez meses deste ano eleva-se a 16 bilhões de euros, +7,7% ou mais 1.15 milhões que no período homólogo de 2018.

Os residentes em países europeus são responsáveis por 78,7% desse total, com o montante de 12 bilhões de euros, mas com um crescimento mais fraco que a média global, em 5,6%, correspondendo ainda assim a mais 668,96 milhões, 633 milhões dos quais de turistas residentes em países da União Europeia, os quais contribuíram com 73,3% do total de receitas turísticas portuguesas neste período.

A informação mostra que o aumento médio de gastos de turistas residentes em países da União Europeia é ligeiramente superior ao do conjunto da Europa, em 5,7%, apesar de o aumento na área do euro ser inferior, situando-se em 5,1%, correspondentes a um aumento de 400,38 milhões, para 8.2 bilhões, que equivale a 51,2% do total as receitas turísticas portuguesas.

Os turistas residentes em países dos continentes americano e asiático são os que mais fortemente estão aumentando os gastos turísticos em Portugal, com subidas respectivamente em 20,6% ou 373,26 milhões de euros, para 2.1 bilhões, e em 22% ou 95,5 milhões, para 530,55 milhões.

Os turistas do continente americano realizaram assim 13,5% dos gastos de turistas estrangeiros em Portugal até Outubro, +1,4 pontos, que no período homólogo de 2018, e os residentes em países asiáticos aumentaram a sua contribuição em 0,4 pontos, para 3,3%.

Já os países africanos tiveram uma redução da sua contribuição em 0,2 pontos, para 3,6%, pois o aumentos dos gastos em Portugal dos seus residentes foi de apenas 2,5% ou 13.9 bilhões de euros, para 581,65 milhões.

Apesar destas variações, Reino Unido, França e Alemanha, mantêm-se este ano os três emissores com maiores contribuições para as receitas turísticas portuguesas, respectivamente com 2.9 bilhões de euros, 2.3 bilhões de euros e 1.7 bilhões.

Mais dois emissores registram gastos em Portugal dos seus residentes acima dos bilhões de euros, designadamente Espanha, com 1.6 bilhões, e Estados Unidos, com 1.1 bilhão.

Seguem-se Países Baixos, com 631,40 milhões, Brasil, com 625,69 milhões, Bélgica, com 334,97 milhões, Angola, com 322,13 milhões, e Luxemburgo, com 184,43 milhões.