ANA Recebe Nova Aeronave B777-300ER Usando Combustível Sustentável

A All Nippon Airways (ANA), a maior companhia aérea de cinco estrelas do Japão por sete anos consecutivos, recebeu suas últimas aeronaves de passageiros dos Estados Unidos por meio de um voo de entrega realizado com uma mistura de combustível de aviação, e combustível de aviação sustentável, em 30 de outubro de 2019. O novíssimo Boeing 777-300ER foi transportado das instalações da Boeing, em Everett, Washington para o Japão, utilizando combustível de aviação sustentável feito a partir de etanol derivado de gás residual para o voo Trans-Pacífico. O sucesso deste voo é uma confirmação encorajadora dos esforços da ANA para continuar pressionando por uma maior sustentabilidade e fontes alternativas de combustível em todos os seus negócios.


A ANA trabalhou em estreita colaboração com a LanzaTech, produtora do combustível de aviação sustentável derivado do etanol, para inspecionar a qualidade do combustível, e garantir o transporte e a mistura do combustível para carregamento na aeronave. O sucesso desse voo de entrega é um passo importante para o uso sustentável em larga escala de combustível de aviação no futuro.

"Estamos muito animados com o sucesso do voo de entrega, não apenas porque adicionamos uma nova aeronave à nossa frota, mas também porque representa um marco importante em nossos esforços para estabelecer padrões mais altos para viagens ecologicamente conscientes", disse Yutaka Ito, Vice-Presidente Executivo da ANA. “Nossa decisão de priorizar o uso de combustíveis sustentáveis ​​para a aviação está intimamente alinhada com a nossa visão de um mundo em que as empresas respondem de maneira proativa a pedidos de liderança ambientalmente amigável. Este importante voo fornece a visão necessária para aumentar o uso de fontes alternativas de energia, e é apenas um dos muitos passos que a companhia aérea está tomando para cumprir as ambiciosas metas de desenvolvimento sustentável que estabelecemos. ”

Esta não é a primeira vez que a ANA utiliza combustível de aviação sustentável. No início deste ano, a ANA comprou 70 mil galões americanos de combustível de aviação sustentável. A ANA usou esse combustível avançado em vôos comerciais de São Francisco para Tóquio, levando a uma redução de sua pegada de carbono. A ANA também assinou um contrato com a LanzaTech, permitindo que a ANA compre combustível de aviação sustentável.

A companhia aérea também foi selecionada pela Organização de Desenvolvimento de Nova Energia e Tecnologia Industrial (NEDO) - um importante órgão público japonês de pesquisa e desenvolvimento - para desenvolver tecnologia de produção integrada para combustível de aviação sustentável e trazê-lo ao mercado. A ANA foi escolhida após um processo abrangente de revisão para conduzir estudos sobre a produção e comercialização do combustível de aviação sustentável da LanzaTech e trabalhará ao lado da Mitsui & Co., LTD. e JXTG Energy para atingir esses objetivos. A ANA, e seus parceiros, trabalharão juntos para construir uma cadeia de suprimentos para combustível de aviação sustentável, como parte de um processo que visa alcançar a produção comercial em larga escala de combustível de aviação sustentável no Japão.

Com a sustentabilidade emergindo como uma questão crucial para todas as empresas modernas, a ANA continua comprometida em defender seus valores e preservar nosso lar compartilhado, e sempre objetivou desafiar o status quo e elevar a fasquia no setor aéreo, buscando estabelecer o padrão de serviço, conforto e sustentabilidade. Ao trabalhar com a NEDO e outras empresas para desenvolver, e implementar combustível de aviação sustentável, a ANA espera melhorar a qualidade do combustível usado em suas aeronaves como parte de seus esforços contínuos para se tornar o grupo de companhias aéreas mais ecológicas do mundo.

O sucesso deste voo de entrega é um símbolo do compromisso da ANA em agir como um responsável ambiental responsável, e as informações obtidas com essa experiência ajudarão a facilitar a transição para combustíveis de aviação sustentáveis ​​no futuro.