Implementação De Taxa De Entrada Em Veneza É Adiada

De 1 de Setembro de 2019, a implementação da taxa de entrada no Centro Histórico de Veneza foi adiada até 1 de Janeiro de 2020, após meses de discussão entre o governo local e operadores turísticos

Em declarações a imprensa italiana, Michele Zuin, conselheiro da cidade, afirmava que o adiamento era “inevitável”, alegando a impossibilidade de adaptar os sistemas operacionais até à data anteriormente anunciada, ressaltando também as complicações que advieram de disputas com companhias aéreas e operadores - onde as autoridades locais anunciaram a implementação da taxa de entrada em Dezembro de 2018. A taxa variará entre os € 2,50 e os € 10, consoante a época do ano, existindo isenção para estudantes, pessoas que se encontrem temporariamente em Veneza em trabalho e residentes regionais. Será apenas cobrada a visitantes diurnos, sendo que quem fique alojado em Veneza seja abrangido apenas pela atual taxa turística.


A cidade de Veneza atrai milhares de visitantes diurnos, em tours organizados e grandes quantidades de ‘cruzeiristas’, que assim evadem a existente taxa turística, cobrada nos locais de hospedagem - na qual descrito na Itália como turismo “hit and run”, estes visitantes são acusados de pouco ou nada contribuir para a economia local.

A nova taxa de entrada tem como objetivo ajudar os custos associados à manutenção e limpeza da cidade, que recebe 30 milhões de visitantes por ano e cerca de 600 cruzeiros. A cidade alega que o custo de manutenção dos edifícios públicos é cerca de 1/3 mais elevado que no continente, pois os materiais têm de ser transportados de barco e depois em carrinhos de mão, enquanto toda a limpeza tem de ser feita manualmente.

Fonte: Turisver - Destinos