Destaque Da Semana

Bruxelas Cobra Agilidade Das Rent A Car´s Em Seus Sites

Entre as alterações, está incluso todas as despesas adicionais no valor total da reserva

A Comissão Europeia anunciou segunda-feira passada que as principais empresas de aluguel de automóveis - Avis, Europcar e Hertz estão empenhadas em melhorar a transparência de preços nas reservas em suas páginas web até o início de 2020 - onde os requisitos que foram cometidos para atender a demanda foram requisitados à quase dois anos atrás.


"Graças a nossa pressão, os consumidores não terão surpresas desagradáveis", disse a Comissária de Justiça e Defesa do Consumidor, Vera Jourová, anunciando o acordo em um comunicado.

Dois concorrentes, Enterprise e Six, já cumprem os padrões da comunidade, de acordo com o relatório de avaliação apresentado segunda-feira em Bruxelas, enquanto o restante o fará em um futuro próximo: Avis, daqui até maio; Europcar (que agora inclui Goldcar), o mais tardar em junho; e Hertz, antes do final do primeiro trimestre de 2020.

Entre as mudanças que devem ser cumpridas, é importante incluir todas as despesas adicionais no preço total da reserva, a fim de garantir que seja oferecido ao consumidor um preço global no site que corresponda ao preço final que ele terá que pagar.


Descreva Os Serviços De Aluguel

Esta taxa deve incluir todos os custos adicionais, tais como específicas pelas taxas de serviço de combustível, taxas aeroportuárias, sobretaxas ou tarifas 'one-way' se o local de devolução do veículo difere do local de coleta, como tem explicou Bruxelas em uma declaração.

Também tem que descrever claramente os serviços de aluguel com todas as condições em todas as línguas dos Estados-Membros para prevenir usuários receberam informações confusas ou enganosa sobre as principais características do aluguel, como a quilometragem coberta, regras sobre os combustíveis, política de cancelamento ou requisitos de depósito.

Por último, devem deixar clara na oferta o preço e os detalhes dos extras opcionais, em particular no caso de isenções de seguro que reduzam o montante devido em caso de danos.

Se as empresas não cumprirem o calendário prometido para Bruxelas, as autoridades nacionais responsáveis pela proteção do consumidor podem tomar medidas para forçá-las a responder ao compromisso.


Comentários